RELÓGIO

PARTICIPE SENDO UM SEGUIDOR DO BLOG

www.stepaway-polio.com

Google+

MAPA MUNDI

free counters

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

I ENCONTRO NACIONAL SOBREVIVENTES DA POLIO- SPP (G14)

http://www.sppolio.inf.br/index.php/i-encontro-joao-pessoa/?fbclid=IwAR2WkNbhb9upx3cI3D3uOou_n_B6XcpYMqyN8L3VJaEYU9rqt2_col4h1j0
arteface

PRAIA DO CABO BRANCO – JOÃO PESSOA – PARAÍBA
A iniciativa do I ENCONTRO NACIONAL surgiu do Grupo de watshapp SOBREVIVENTES PÓLIO-SPP, criado em Setembro de 2017, administrado por Silvana de Moraes (SP) e Josete Lacerda (PB). O objetivo do grupo sempre foi o de unir e reunir Sobreviventes da Pólio de todos os Estados do Brasil, lutar para que Associações se unissem em busca de Atendimento e Tratamento Multidisciplinar em nível Nacional, através dos serviços oferecidos por Unidades Referência no país.
O grupo já teve várias iniciativas na tentativa de minimizar os problemas vivenciados por todos, entre outros, uniu-se ao site : sppólio.in.br, diretora Maria Amélia dos Santos, criando a I Estatistica Nacional da Póliomielite. Foi criado o I CANAL NO YOUTUBE : Síndrome Pós-Poliomielite, onde recebe e publica vídeos populares, com a proposta de divulgar a “nova doença” e denunciar suas dificuldades. O I ENCONTRO NACIONAL DE SOBREVIVENTES DA PÓLIO é definitivamente “ápice” desses objetivos. Outros “encontros” virão e em breve Brasil saberá : “NÓS AINDA ESTAMOS AQUI”
PARA SABER SOBRE AS ATIVIDADES DO ENCONTRO FAÇA SUA INSCRIÇÃO NO LINK ABAIXO
________________________________________________________________________
HOTEL,FLATS E HOSTEL
Aqui você pode encontrar o Albergue da juventude que são Hostel em todo mundo a preços bem baratinhos, se você dividir e indicar alguém vc ainda ganha desconto em dinheiro, mas se preferir hotéis ou flats vc também encontrar no link abaixo
__________________________________________________________________________
DESCONTOS EM PASSAGENS AÉREAS COM ACOMPANHANTE
Aqui você encontra os links das empresas aéreas e os formulários de cada uma para conseguir o desconto, a diferença entre eles é que o Fremec da descontos por um ano em todas as viagens e o Medif da desconto  cada viagem.

http://www.sppolio.inf.br/index.php/i-encontro-joao-pessoa/?fbclid=IwAR2WkNbhb9upx3cI3D3uOou_n_B6XcpYMqyN8L3VJaEYU9rqt2_col4h1j0

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

O QUE É SPP


sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Corregedoria realizará audiência pública sobre os Direitos da Pessoa Idosa


Ir para a página inicial

Corregedoria realizará audiência pública
sobre os Direitos da Pessoa Idosa
A Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Denise Oliveira Cezar, autorizou a publicação do Edital nº 069/2018, de convocação para audiência pública. O tema é Garantias dos Direitos da Pessoa Idosa: Estratégias, Políticas e Práticas. O evento será realizado no dia 1º/10, a partir das 13h30min, no auditório Osvaldo Stefanello, 6º andar do Palácio da Justiça (Praça Marechal Deodoro, nº 55).
Conforme o Edital, o objetivo da audiência é promover o debate coletivo sobre os direitos assegurados às pessoas idosas e os desafios impostos para sua efetivação; contextualizar a realidade atual da situação das pessoas idosas por meio da apresentação de dados estatísticos e pesquisas; problematizar os desafios colocados ao poder público e à sociedade na proteção das pessoas idosas com vistas à elaboração de estratégias para garantir o exercício dos direitos assegurados pela Constituição e divulgar à sociedade civil e ao poder público as iniciativas e providências que estão sendo realizadas no âmbito do TJRS e demais integrantes do Comitê Interinstitucional de Defesa e Proteção da Pessoa Idosa.
Programação
13h - Recepção dos participantes e assinatura da lista de presença
13h30min - Abertura dos Trabalhos
14h - Manifestação dos Especialistas
15h15min - Fala dos participantes inscritos
17h - Encerramento dos Trabalhos
Regras
a)     Será conferido tempo de 20 minutos de manifestação para cada especialista convidado
b)    Será aceita inscrição de apenas uma pessoa por entidade pública ou privada, que possua atuação ligada ao tema, bem como de pessoas físicas, que poderão se manifestar na audiência
c)     Será assegurada a manifestação de, no mínimo, 5 entidades e 5 pessoas físicas. Os demais inscritos serão ouvidos desde que verificado pela organização do evento que haverá tempo hábil sem prejudicar a programação preestabelecida
d)    A inscrição dos interessados para manifestação na audiência pública será feita por meio do endereço eletrônico assessoriacgj@tjrs.jus.br, devendo ser enviada, impreterivelmente, até o dia 28/09/2018
e)     Fica estabelecido o tempo de 10 minutos por entidade e de 5 minutos por pessoa física inscritas, de forma intercalada, para manifestação na audiência, observada a ordem cronológica de inscrição
f)     Serão aceitas inscrições para manifestação no decorrer da audiência pública desde que verificado pela organização do evento que haverá tempo hábil sem prejudicar a programação preestabelecida
g)    Será aberta a possibilidade de apresentação de perguntas escritas pelo público presente, direcionadas para os especialistas e organizadores, ficando a critério da organização a pertinência de seu encaminhamento para resposta. As perguntas relacionadas ao objeto da audiência pública que não puderem ser respondidas em razão da limitação do horário serão respondidas por email, posteriormente, para o endereço eletrônico informado no formulário fornecido pela organização do evento


EXPEDIENTETexto: Rafaela Souza
Assessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arend
imprensa@tj.rs.gov.br
 

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

1*SEMINÁRIO SOBRE POLIOMIELITE E SÍNDROME PÓS POLIO RJ. Para profissionais da Saúde



Compartilhando Grupo Síndrome Pós Pólio Brasil. 1*SEMINÁRIO SOBRE POLIOMIELITE E SÍNDROME PÓS POLIO RJ. Para profissionais da Saúde... Compartilhem...

𝐒í𝐧𝐝𝐫𝐨𝐦𝐞 𝐏ó𝐬 𝐏ó𝐥𝐢𝐨 - 𝐈𝐧𝐬𝐭𝐢𝐭𝐮𝐭𝐨 𝐆𝐢𝐨𝐫𝐠𝐢𝐨 𝐍𝐢𝐜𝐨𝐥𝐢
📞Tel: (11) 2532-1171
www.institutogiorgionicoli.org.br
▲Programa de Reabilitação para portadores da Síndrome Pós Pólio

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Rio Grande do Sul é o quarto estado com maior expectativa de vida entre brasileiros

Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosPDF Cartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH


Rio Grande do Sul é o quarto estado com maior expectativa de vida entre brasileiros


06/07/2018
A esperança de vida é um dos indicadores das condições socioeconômicas e ambientais e do nível de qualidade da saúde de determinado país ou região. Também reflete as transformações do comportamento demográfico e dos indicadores sociais, como a queda acentuada da fecundidade e da mortalidade, resultando na demanda crescente por estruturas de serviços de saúde relacionadas ao envelhecimento da população.

De acordo com o Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), a expectativa de vida para ambos os sexos, no Rio Grande do Sul, foi superior à do Brasil em 1991, 2000 e 2010.

Entre os 27 estados brasileiros, o Rio Grande do Sul era em 2010 o quarto com a maior esperança de vida ao nascer, superado pelo Distrito Federal, Santa Catarina e São Paulo.

Segundo o IBGE, a expectativa de vida ao nascer, no RS, para ambos os sexos, passou de 72,4 em, 2000, para 77,8 em 2016. Os estudos de evolução demonstram que a transição demográfica começou mais cedo em relação à maior parte dos estados brasileiros e tornou-se mais evidente nas últimas décadas, caracterizando o rápido aumento absoluto e relativo das faixas de população adulta e idosa.

Em relação ao sexo, as diferenças ficam ainda mais evidentes quando se constata a maior esperança de vida ao nascer das mulheres - que em 2016 atingiu 81,1 anos -, enquanto a dos homens alcançou 74,3 anos. Como resultado, o número de mulheres é superior ao número de homens, principalmente nas faixas de idade mais avançadas.

Fonte: Atlas Socieconômico do Rio Grande do Sul

VACINAÇÃO NO BRASIL

VACINAR OU NÃO VACINAR

A vacinação no BRASIL esta uma vergonha, mas isso é culpa da população que não esta levando a sério a possibilidade de uma nova epidemia de POLIOMIELITE. Sem responsabilidade por parte da população poderemos ter em curto tempo novos e sérios casos da doença que tanto prejudicou e continua a prejudicar as pessoas. Levem seus filhos para tomarem a vacina e assim estarão a proteger e não ter de passar por tanto sofrimento depois. Não brinquem , é sério .
A saúde dos seus filhos esta em suas mãos. 
VACINAR É PRECISO.
VACINE.

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Acessibilidade e Inclusão na Região Sul do estado

Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosPDF Cartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH

Acessibilidade e Inclusão na Região Sul do estado


26/06/2018
Na manhã desta terça-feira (26), o deputado estadual Fábio Branco esteve reunido com o presidente da Faders - Acessibilidade e Inclusão, Roque Bakof, com o objetivo de verificar a acessibilidade e a inclusão dos municípios da Região Sul do estado.



Bakof, destacou a importância dos parlamentares assumirem as demandas de acessibilidade e inclusão e disse que é trabalho da Faders levar esses conceitos à sociedade e ao parlamento.

O deputado já foi prefeito de Rio Grande, Secretário do Desenvolvimento Econômico e Chefe da Casa Civil do governo estadual.


Fonte: ASCOM/Faders - Acessibilidade e Inclusão

COMDEPA solicita acessibilidade no Mercado Público

Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosPDF Cartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH

COMDEPA solicita acessibilidade no Mercado Público


29/06/2018
Relatório do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência de Porto Alegre (COMDEPA) indica falhas de acessibilidade e inclusão nas áreas externas e internas do Mercado Público. O documento, entregue à Faders - Acessibilidade e Inclusão e à Frente Parlamentar dos Direitos das Pessoas com Deficiência da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, na quinta (28), deve ser encaminhado também ao Ministério Público (MP/RS) e à prefeitura.

Desníveis nas calçadas, poucos pisos táteis ou podotáteis, degraus nos acessos às lojas, falta de rampas, balcões elevados, inacessibilidades atitudinais foram descritos em detalhes no documento – que inclui fotos – após uma vistoria feita em maio, com diversos agentes que trabalham em prol da acessibilidade no Rio Grande do Sul.

“Estamos fazendo a entrega do que encontramos: buracos, banheiros sem condições, falta de placas indicando a acessibilidade. Vamos mandar o MP, já sabendo que eles já têm protestos registrados contra o Mercado Público”, disse Liza Cenci, presidente do COMDEPA. Liza afirmou que o próximo passo é abrir diálogo com o promotor do MP, que auferiu avanços de acessibilidade no Cais do Porto.

Para Alvoni Medina, presidente da Frente Parlamentar, as questões de acessibilidade arquitetônica têm que ser resolvidas desde a liberação de funcionamento do estabelecimento. “A função da Frente Parlamentar é ser uma ferramenta de busca de melhorias para a sociedade. As gestões não podem ser só políticas. Tem responsabilidade quem libera.”

Nelson Khalil, do COMDEPA, citou a lei que diz que toda propriedade, mesmo que vise o lucro, deve exercer função social; e lembrou de solicitações de reparos feitas por ele há meses, que seguem sem previsão de resolução.   

“Se não vamos resolver todos os problemas, ao menos vamos dar atenção àqueles que estão pedindo atenção. O gestor deve ter humildade de entender que há lógicas que não são as dele. E a acessibilidade é uma delas. Só um cadeirante sabe o que é ter que passar por um local sem acesso. Assim, é preciso ouví-lo e atendê-lo. Essa é a ideia das Rotas Acessíveis, propostas pela Faders”, disse Roque Bakof, presidente da Faders.

A próxima blitz da acessibilidade marcada pelo COMPEDA, será no “Camelódromo”, no Centro de Porto Alegre, no dia 5 de julho, às 9h.


Fonte: ASCOM/Faders - Acessibilidade e Inclusão

Risco da volta da poliomielite coloca 312 cidades em alerta, 44 em SP

https://exame.abril.com.br/brasil/risco-da-volta-da-poliomielite-coloca-312-cidades-em-alerta-44-em-sp/

Risco da volta da poliomielite coloca 312 cidades em alerta, 44 em SP

O alerta foi feito na quinta-feira (28), em uma reunião com secretários estaduais e municipais de saúde

Brasília – O Ministério da Saúde admite haver alto risco de retorno da poliomielite em pelo menos 312 cidades brasileiras – 44 no Estado de São Paulo. O alerta foi feito na quinta-feira (28), em uma reunião com secretários estaduais e municipais de saúde. “É uma situação gravíssima”, afirmou a coordenadora do Programa de Imunização, Carla Domingues.
Estão na lista de maior risco para pólio municípios que não conseguiram atingir nem 50% da cobertura vacinal. “Uma cidade com esses indicadores tem todas as condições de voltar a transmitir a doença em nosso País. Será um desastre para a saúde como um todo.” O último caso registrado no Brasil foi em 1990. Quatro anos depois, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a doença erradicada das Américas.
A recomendação é de que a cobertura vacinal contra pólio seja superior a 95%. A situação mais grave é na Bahia, onde 15% dos municípios imunizaram menos do que 50% das crianças, seguido do Maranhão, com 14,29%. Em todo o País, apenas Rondônia, Espírito Santo e Distrito Federal não têm cidades sob risco elevado.
O quadro geral é muito preocupante. Pelos dados do Ministério da Saúde, no ano passado 22
unidades da federação não atingiram a cobertura considerada ideal. Também em 2017 pelo menos 800 mil crianças estavam sem o esquema completo de vacinação – que compreende três doses do imunizante.
“Acendemos a luz vermelha”, resumiu Carla. A preocupação ganha corpo sobretudo em um momento em que voltou a ser discutida a entrada do poliovírus derivado. Na Venezuela, autoridades sanitárias cogitaram a possibilidade de que uma menina teria sido contaminada por essa mutação do vírus.
Quando a vacina em gotas é dada para a criança, o vírus atenuado contido no imunizante pode ficar presente no ambiente por quatro a seis semanas, criando o que se chama de efeito rebanho. De quebra, a população que tem contato com o vírus atenuado também fica protegida contra a doença.
O problema é que nesse período, em raríssimas ocasiões, o poliovírus pode ter contato com outros vírus, como o rotavírus, sofrer uma mutação e, com isso, criar uma nova onda de infecções. Essa hipótese foi descartada no caso da criança venezuelana, mas a preocupação persiste.
A presidente da Sociedade Brasileira de Imunização, Isabella Ballalai, observa que o risco aumenta nos casos em que a cobertura vacinal é menor. “Daí a necessidade de a imunização ser, sempre, mantida em 95%.”
Isabella classificou o indicador brasileiro como “inacreditável e inadmissível”. Carla observa que a queda mais expressiva ocorreu nos últimos dois anos. Para tentar reduzir o risco, o Ministério da Saúde deverá fazer entre os dias 6 e 31 de agosto uma campanha nacional de vacinação contra pólio.

Outras doenças

Carla reforça ainda que as taxas de cobertura vacinal no País caíram de forma expressiva. “Parece que estamos retomando à década de 80 com as cobertura vacinais.” Como exemplo, ela citou as vacinas tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba), pentavalente (difteria, tétano, coqueluche, meningite por Haemophilus influenzae tipo b e poliomielite) e pneumococo. “Não houve desabastecimento em nenhum desses casos”, observou.
Para ela, os indicadores mostram a necessidade de se refletir sobre o que está sendo feito na ponta da assistência. Ela observa que o programa de imunização oferta 14 vacinas. “É preciso ter simultaneidade. Montar um calendário de forma a ofertar, numa só visita ao posto, mais de um imunizante.” No esquema ideal, afirma, os pais levam a criança nove vezes durante o ano ao posto de vacinação. “Se isso não é feito da forma adequada, esse número aumenta para 10, 11, 12”, observa.
A resistência em dar mais de uma vacina no mesmo dia pelos profissionais de saúde poderia ser resolvida com reforço na capacitação. O mesmo se aplica ao preenchimento das fichas de vacina. Poucos são os municípios que seguem a recomendação de fazer registro da vacinação nominal. “As anotações são feitas apenas por dose. Isso dificulta que seja realizada uma busca das crianças que estão com calendário atrasado”, diz Carla.

Horários

Para ela, é preciso também maior racionalidade na forma da oferta da vacina, como horários mais flexíveis, que se encaixem na rotina de trabalho dos pais. “Postos funcionam das 8h às 11 e das 14 às 17 horas. Não são todos pais que podem levar seus filhos nesses horários várias vezes ao ano.”
A abertura de muitas salas de vacina, por sua vez, seria contraproducente. “É preciso escala. As doses precisam ser abertas e usadas rapidamente. Caso contrário, há desperdício.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

quarta-feira, 21 de março de 2018

Check-list da Acessibilidade é pauta de reunião do Comitê Gestor do Selo de Acessibilidade

Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosPDF Cartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH


Check-list da Acessibilidade é pauta de reunião do Comitê Gestor do Selo de Acessibilidade


20/03/2018
A proposta do check-list da acessibilidade foi analisada durante reunião na sede da Faders - Acessibilidade e Inclusão, na tarde desta terça-feira (20). Os parâmetros para concessão dos selos de acessibilidade também fizeram parte do diálogo.

O check-list se constitui em uma lista de aspectos que um local deve preencher para que esteja apto a receber o Selo de Acessibilidade. Estes tópicos fazem parte de um levantamento de diversos pontos importantes, revisado por todos os membros do comitê. O objetivo é que durante as análises para a concessão do Selo, este documento auxilie os comitês municipais em suas avaliações.

Para a coordenadora de acessibilidade da Faders, Ana Flávia Rigueira, os maiores benefícios que o Selo de Acessibilidade levam para a sociedade são a conscientização e a sensibilização das pessoas acerca do tema acessibilidade. “Por trás da ideia do Selo existe um projeto de conscientização, que é isso que a gente quer atingir. Durante as reuniões nós temos tido muitas ideias e, a partir disso, acreditamos que com o Selo vamos não só mudar a acessibilidade arquitetônica, mas também a visão das pessoas de que aquele lugar é um lugar de todos”, disse a coordenadora.

O grupo abordou também os parâmetros para a concessão dos Selos de Acessibilidade. Foram apontados diversos critérios mínimos para que um local seja habilitado a receber o certificado. De acordo com Roque Bakof, presidente da Faders, a proposta de existir três níveis (bronze, prata e ouro) é para que os estabelecimentos que vierem a receber os Selos bronze e prata busquem o Selo ouro.

O diálogo contou com a presença de André Huyer, arquiteto do Ministério Público (MP/RS); Adilso Corlassoli, coordenador de Políticas para Pessoas com Deficiência da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos (SDSTJDH); Nelson Kahlil, representante do Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência de Porto Alegre (COMDEPA); Roberta Brum, representante da Frente Parlamentar dos Direitos da Pessoa com Deficiência na Câmara de Vereadores de Porto Alegre; Fabiana Marques, representante da Federação de Entidades Empresariais do RS (FEDERASUL); Leandro Taborda, representante do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do RS (CREA-RS); Ana Paula Kohlmann, diretora presidente do Instituto Autismo e Vida; Laíno Schneider, representante da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA); Anelise Schmitz, representante do Centro Universitário Metodista – IPA; e com a equipe da Faders: Roque Bakof, presidente; Marilu Mourão, diretora técnica; e Ana Flávia Rigueira, coordenadora de acessibilidade.


Fonte: ASCOM/Faders - Acessibilidade e Inclusão

Família, estado, sociedade: o tripé para a inclusão das pessoas com Síndrome de Down

Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosPDF Cartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH


Família, estado, sociedade: o tripé para a inclusão das pessoas com Síndrome de Down


AFAD/Divulgação20/03/2018
Em 2011, aos trinta anos de idade, o pelotense Gustavo Bicca foi a primeira pessoa com Síndrome de Down a concluir um curso técnico profissionalizante no Brasil. Ele se formou em Agroindústria pelo Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul).

Em 2015, na Universidade Federal de Pelotas (UFPel), o estudante com Síndrome de Down Gabriel Almeida Nogueira, recebeu nota máxima no Trabalho de Conclusão de Curso Superior “Oficina de Teatro Down: Todos Somos Capazes de Fazer Tudo”. Com 27 anos na época, ele se formou em Teatro e encenou um trecho de “Hamlet”, de William Shakespeare.

Em 2017, em Porto Alegre, Yves Levy foi o primeiro aluno com Síndrome de Down a ingressar no curso de Educação Física da Faculdade Sogipa.

Segundo a Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul (Seduc), para o ano letivo de 2018, até março, 431 pessoas com Síndrome de Down estão matriculadas nas escolas da Rede Pública estadual. No ano passado, foram 524.

Para Roque Bakof, presidente da Faders - Acessibilidade e Inclusão, por mais que o ingresso das pessoas com Síndrome de Down no ensino básico esteja em evolução, no ensino médio o número de pessoas matriculadas ainda é baixo. Apesar dos dados, o ingresso das pessoas com Síndrome de Down no ensino superior, vem aumentando gradativamente.

A Faders vem incentivando a educação inclusiva – com ações inéditas neste ano – e, principalmente, através de Fóruns que reúnem diversos municípios de uma mesma região e abordam currículos adaptados, termos específicos, público da educação especial, entre outros, que podem fazer a diferença na vida de uma pessoa com Síndrome de Down.

Parceira da Fundação nas ações pelas pessoas com Síndrome de Down, a Associação dos Familiares e Amigos do Down (AFAD) atua em prol da conscientização da sociedade, da defesa dos Direitos Humanos, do apoio às famílias e da promoção da autonomia das pessoas com Síndrome de Down. O presidente da associação, Vicente Fiorentini, destaca que a inclusão inicia com a conscientização e a participação efetiva da sociedade. “O objetivo principal da AFAD é defender e possibilitar a inclusão social das pessoas que nascem com a Síndrome de Down. É importante as famílias congregarem em associações. Para trocar de experiências, lutar por direitos, investir na educação precoce da criança, depois na escola regular e no mercado de trabalho. Hoje temos vários jovens trabalhando e tudo isso é resultado da família acreditar e da escola aceitar e possibilitar o desenvolvimento deles”, disse. Fiorentini ressalta que o vice-presidente da AFAD, Fernando Barbosa (foto), pessoa com Síndrome de Down, “é o porta voz” da associação e atribui ao colega os bons resultados alcançados pela instituição.

2ª Semana Estadual da Conscientização sobre Síndrome de Down

A Semana Estadual da Conscientização sobre Síndrome de Down tem o objetivo de estimular políticas públicas voltadas às pessoas que têm a síndrome, disseminar informações para a sociedade e motivar o poder público.

Para o deputado Eduardo Loureiro, autor da Semana, as pessoas com Síndrome de Down possuem limitações, porém têm inúmeras potencialidades. “Se elas tiverem acesso às políticas públicas nas áreas da saúde e da educação, se forem devidamente acolhidas pela sociedade não enfrentando preconceitos, elas vão muito longe. É isso que queremos”, disse. Loureiro ressalta que o mercado de trabalho é ítem essencial para a melhoria das políticas públicas para pessoas com deficiência.

Com o tema “Além do olhar”, a Semana 2018 será contemplada com eventos na capital e nos municípios Santo ngelo, Novo Hamburgo, Caxias do Sul, Gravataí, Pelotas, São Gabriel, Bagé e Dois Irmãos. Acesse a programação em www.facebook.com/SemanaConscientizacaoDown2018.

Bakof, presidente da Faders, sublinha a importância da visibilidade ao tema. “A data e a programação convidam as pessoas com deficiência, as famílias e a sociedade como um todo para perceberem a inclusão como um valor comportamental a ser exercitado com incentivo e a busca da autonomia”, disse.

A data

21 de março é o Dia Internacional da Síndrome de Down, lembrado desde 2006 em 193 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU). Além de informar e conscientizar as pessoas sobre o que é a Síndrome de Down, também tem o objetivo de celebrar a vidas das pessoas que possuem a trissomia do cromossomo 21, que não é considerada doença, mas sim uma mutação genética causada pela presença de três cromossomos 21 em todas ou na maior parte das células de um indivíduo. A maioria das pessoas possui 46 cromossomos em suas células, ao contrário das que tem Síndrome de Down, que nascem com 47.


Fonte: ASCOM/Faders - Acessibilidade e Inclusão

Educação Inclusiva tem destaque na abertura da 2ª Semana Estadual de Conscientização sobre a Síndrome de Down

Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosPDF Cartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH


Educação Inclusiva tem destaque na abertura da 2ª Semana Estadual de Conscientização sobre a Síndrome de Down


20/03/2018
Em cerimônia realizada no auditório João Neves da Fontoura (Plenarinho), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, na tarde desta segunda-feira (19), deu-se início à semana de conscientização sobre a Síndrome de Down, em referência ao dia 21 de março, Dia Internacional da Síndrome de Down. O presidente da Faders - Acessibilidade e Inclusão, Roque Bakof, participou da mesa de abertura do evento com a temática: Direitos, Autonomia e Inclusão - Nós Podemos, Nós Queremos.

Presentes na mesa também estavam Adilso Corlassoli, coordenador de Políticas para Pessoas com Deficiência da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos (SDSTJDH); Eduardo Loureiro e Sérgio Peres, deputados estaduais; Liliane Pastoriz, promotora da Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos de Porto Alegre; Vicente Fiorentini, presidente da Associação dos Familiares e Amigos do Down (AFAD); e Vinícius Streda, palestrante e escritor com Síndrome de Down. A apresentação da cerimônia ficou a cargo de Fernando Barbosa, vice-presidente da AFAD, com Síndrome de Down.

A fala de todos os convidados teve um tema em comum: a inclusão nas escolas. O discurso em consonância dos representantes políticos e sociais presentes foi de que não só as políticas públicas sejam aplicadas para que se obtenha o cenário desejado, mas que também haja inclusão através do tratamento sem discriminação realizado pelas pessoas.

Para Bakof, o sentimento que, equivocadamente, ainda se tem e que deve ser um dos principais esforços para que se pense diferente, é o de que quando se inclui uma pessoa com Síndrome de Down está fazendo um favor para ela. “Nós temos que alterar esse pensamento da sociedade de que quando se abre espaço para uma pessoa com deficiência acesse os mesmos locais e tenha as mesmas oportunidades que uma pessoa que não tenha deficiência, estamos dando inclusão para ela. Na verdade, são as pessoas com deficiência e as pessoas sem deficiência que estão se incluindo. É isso que devemos pensar.”

A solenidade contou, ainda, com um momento emocionante. Laura Kuhn, pessoa com deficiência da cidade de Espumoso/RS, declamou a poesia “Os Primeiros Versos de Amor à Terra", do poeta Júlio César Paim, e recebeu uma extensa salva de palmas.

Como parte da programação da Semana, nesta terça, o hall do Palácio Farroupilha, haverá a abertura da exposição “Tirinhas do Dauzito - A arte a serviço da inclusão”, de Elitan David, com apresentação da violinista Florença Sanfelice. A mostra pode ser visitada, até sexta (23), entre 8h30 e 18h30.


Descrição da imagem:Foto em perspectiva da mesa de convidados com seis pessoas sentadas atrás dela. O presidente da Faders, Roque Bakof, segura um microfone em quanto fala ao público. Ao fundo da imagem, um cartaz com os dizeres “Além do Olhar” com fotos em preto e branco de pessoas com Síndrome de Down. Fim da descrição

Fonte: ASCOM/Faders - Acessibilidade e Inclusão

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018




A Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência CONVIDA:
Audiência Pública
Regulamentação do Art. 45 da LBI
Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015
Palácio do Planalto – Anexo I – Auditório
16 de fevereiro – 10h30
Confirme sua presença em: pessoacomdeficiencia@mdh.gov.br ou
Envie sua contribuição para: cc.assessoriaespecial@presidencia.gov.br
Descrição da imagem:
Banner retangular verde com marca d´água do símbolo de acessibilidade da ONU ao fundo. Textos em branco, amarelo no topo. Abaixo dos textos, ao centro, círculo com borda branca e desenho de um prédio dentro dele; no arco superior do círculo a palavra acessibilidade e sobrepondo o círculo do meio para baixo, três faixas brancas com textos em verde: HOTÉIS, POUSADAS E SIMILARES. Ícones em tons de verde e branco de uma camareira à esquerda e um mensageiro à direita.
No rodapé branco, assinatura da Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Ministério dos Direitos Humanos, Brasil, Governo Federal.

Lei Brasileira de Inclusão entra em vigor e beneficia 45 milhões de pessoas

https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2016/01/21/lei-brasileira-de-inclusao-entra-em-vigor-e-beneficia-45-milhoes-de-brasileiros

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Presidente da Faders prestigia atividades do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência


Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosCartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH

Presidente da Faders prestigia atividades do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência


04/12/2017
O presidente da Faders Acessibilidade e Inclusão, Roque Bakof, esteve presente, na manhã desta segunda-feira (04), no Paço Municipal, centro de Porto Alegre, para prestigiar as atividades em alusão ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, celebrado ontem. O diretor administrativo da fundação, Romário Cruz, e a diretora técnica, Marilu Mourao Pereira, também marcaram presença.


A programação foi organizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte (SMDSE), por meio da Diretoria de Acessibilidade e Inclusão Social, que promoveu uma série de atividades, incluindo palestras sobre inclusão no mercado de trabalho, além de oferta de vagas e apresentações musicais. O objetivo é a conscientização sobre os direitos das pessoas com deficiência, além da divulgação do trabalho desenvolvido pelas entidades.

Programa de orientação sobre síndrome de Down – Posteriormente, Bakof esteve na assinatura da lei que instituiu o Programa Municipal de Orientação sobre a Síndrome de Down em Porto Alegre, sancionada hoje pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior, em ato realizado no Paço Municipal. A legislação também inclui a Semana de Conscientização Sobre a Síndrome de Down no calendário de datas comemorativas da prefeitura, para ser realizada anualmente entre os dias 21 e 28 de março.

Entre os objetivos do programa está elevar o nível de informação, conscientização e compreensão dos familiares, profissionais das áreas da saúde e da educação e da sociedade sobre a disfunção genética e a inclusão da pessoa com síndrome de Down. O Projeto de Lei nº 096/17 é de autoria do vereador Paulo Brum.


Fonte: ASCOM Faders Acessibilidade e Inclusão, com informações PMPA

32 pessoas concluíram capacitação promovida pela Faders e Secretaria da Saúde


Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosCartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH

32 pessoas concluíram capacitação promovida pela Faders e Secretaria da Saúde


04/12/2017
O curso “Abordagem em Estimulação Precoce no Sistema Único de Saúde (SUS)”, promovido pela Faders em parceria com a Secretaria da Saúde (SES), encerrou no último dia 01.


A capacitação que somou uma carga horária de 40 horas teve início no dia 04 de agosto. Ao todo, 32 pessoas foram capacitadas, entre elas, representantes dos municípios de Porto Alegre, Cachoeirinha, Giruá, Camaquã, Canos, Panambi, Rodeio Bonito, Bagé, Teutônia, Esteio, Santa Rosa, São Francisco De Paula, Charqueadas, Sarandi e Crissiumal.

A psicóloga da Faders, Mariana Chemello, e a coordenadora da Saúde da Pessoa com Deficiência da Secretaria Estadual da Saúde, Cristiane Schuller, participaram do encerramento.

Fonte: ASCOM/ Faders Acessibilidade e Inclusão

Presidente da Faders prestigia atividades do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência

Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosCartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH


Presidente da Faders prestigia atividades do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência


04/12/2017
O presidente da Faders Acessibilidade e Inclusão, Roque Bakof, esteve presente, na manhã desta segunda-feira (04), no Paço Municipal, centro de Porto Alegre, para prestigiar as atividades em alusão ao Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, celebrado ontem. O diretor administrativo da fundação, Romário Cruz, e a diretora técnica, Marilu Mourao Pereira, também marcaram presença.


A programação foi organizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Esporte (SMDSE), por meio da Diretoria de Acessibilidade e Inclusão Social, que promoveu uma série de atividades, incluindo palestras sobre inclusão no mercado de trabalho, além de oferta de vagas e apresentações musicais. O objetivo é a conscientização sobre os direitos das pessoas com deficiência, além da divulgação do trabalho desenvolvido pelas entidades.

Programa de orientação sobre síndrome de Down – Posteriormente, Bakof esteve na assinatura da lei que instituiu o Programa Municipal de Orientação sobre a Síndrome de Down em Porto Alegre, sancionada hoje pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior, em ato realizado no Paço Municipal. A legislação também inclui a Semana de Conscientização Sobre a Síndrome de Down no calendário de datas comemorativas da prefeitura, para ser realizada anualmente entre os dias 21 e 28 de março.

Entre os objetivos do programa está elevar o nível de informação, conscientização e compreensão dos familiares, profissionais das áreas da saúde e da educação e da sociedade sobre a disfunção genética e a inclusão da pessoa com síndrome de Down. O Projeto de Lei nº 096/17 é de autoria do vereador Paulo Brum.


Fonte: ASCOM Faders Acessibilidade e Inclusão, com informações PMPA

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Em Taquara, Paradesporto entra em pauta em mais um Fórum Temático da Faders

Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosCartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH


Em Taquara, Paradesporto entra em pauta em mais um Fórum Temático da Faders


16/10/2017
Paradesporto: “Promovendo movimento e inclusão”, será debate durante o Fórum Temático Regional, nesta terça-feira (17), a partir das 8h30, no Ginásio do Parque do Trabalhador – Titão, localizado na Rua Ernesto Alves, no Bairro Recreio, em Taquara. A atividade visa incentivar a acessibilidade e a inclusão em todo o Rio Grande do Sul.

A partir das 8h30, após a abertura oficial da atividade, a mesa redonda sobre "Paradesporto: Promovendo Movimento e Inclusão”, será realizada até as 11h30. Na tarde, das 13h30 às 17h, o painel sobre o Movimento Paralimpico Escolar: Bocha Paralimpica, Goallball, Voleibol Sentado e Atletismo Teórico e Prático, marcará o encerramento do Fórum.

Esta edição, conta com o apoio da Prefeitura Municipal, da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, e da Câmara de Vereadores de Taquara. O evento será aberto ao público.


Fonte: ASCOM/Faders Acessibilidade e Inclusão

Capão do Leão terá evento sobre Acessibilidade e Inclusão

Logotipo da FADERSBrasão da Secretaria da Justiça e dos Direitos HumanosCartilha Atitudes que fazem a diferença com Pessoas com Deficiência - Faders/SJDH


Capão do Leão terá evento sobre Acessibilidade e Inclusão


16/10/2017
O presidente da Faders, Roque Bakof se reuniu, na tarde do último dia 11 com os vereadores de Capão do Leão com o objetivo de fazer as tratativas do evento de Acessibilidade e Inclusão – Conceito de Convivência e Sociedade, que será promovido no dia 23 de novembro, a partir das 8h30, no Sindicato dos Municipários, localizado na Rua Joaquim Luís Carpter, número 65, no Centro de Capão do Leão.

Os legisladores, JK Martinez (Duca), Emerson Britto, Renato Miranda e Francisco Silveira, que há dois meses estiveram na Fundação, falaram sobre a importância do tema que será abordado durante o evento, já que uma das principais demandas da cidade são os serviços de educação e saúde.

Fonte: ASCOM/Faders Acessibilidade e Inclusão

PRIMEIRA VACINA

PRIMEIRA VACINA

FOTOS

FOTOS
NEUROMUSCULAR EM SÃO PAULO

Postagens populares

HIDROTERAPIA

HIDROTERAPIA