RELÓGIO

PARTICIPE SENDO UM SEGUIDOR DO BLOG

www.stepaway-polio.com

Google+

MAPA MUNDI

free counters

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013


Chia: além do emagrecimento


Quando desembarcou no Brasil, há pouco mais de um ano, a chia não demorou a entrar na lista de compras dos interessados em perder peso. Nada mais compreensível. Como uma de suas principais características é virar uma espécie de gel ao entrar em contato com a água, ela dá uma baita saciedade, evitando ataques desenfreados de gula ao longo do dia. Só que os benefícios do pequeno grão - consumido por civilizações pré-colombianas há milhares de anos - não ficam restritos ao emagrecimento. Pelo menos é o que a ciência tem revelado.

Em estudo recente da Universidade de Queensland, na Austrália, a semente mostra por que merece aplausos em outros âmbitos. Em um primeiro momento, ratos foram alimentados com bastante gordura e carboidrato. Depois, os cientistas acrescentaram chia na dieta deles durante oito semanas. Ao final da intervenção, ficou claro que a inclusão da semente melhorou a sensibilidade dos bichos à insulina. "Isso significa que o hormônio foi mais eficiente na hora de encaminhar a glicose aos tecidos, processo necessário para a geração de energia", explica Lindsay Brown, uma das autoras da investigação. No caso dos portadores de diabete, que ralam para manter o açúcar que passeia pelo sangue em níveis adequados, o efeito é pra lá de bem-vindo, já que representa um maior controle da doença.

O resultado também deve ser encarado com empolgação por pessoas com sobrepeso. É que a maioria já apresenta resistência à ação da insulina. "Daí sobem os riscos de diabete e complicações cardiovasculares", conta a nutricionista Carolina Chica, da Unidade de Doenças Cardiovasculares da Pontifícia Universidade Católica do Chile. Tem mais: na pesquisa, a chia livrou o fígado de adiposidade. "Esse quadro, conhecido como esteatose hepática, pode culminar em danos permanentes no órgão", informa a nutricionista chilena.

A enxurrada de benefícios parece ter um denominador comum, que atende pelo nome de ácido alfalinolênico - ou ALA, para simplificar. Trata-se de uma fração do ômega-3, gordura poli-insaturada encontrada aos montes na chia. Seu trunfo: combater a inflamação detectada no corpo devido à obesidade e que prejudica órgãos como coração, fígado, cérebro... "Acontece que esse ácido graxo ajuda a reduzir a produção de uma enzima chamada SCD1. Quando isso ocorre, há menor liberação de substâncias inflamatórias no organismo", esclarece a nutricionista Sandra Soares Melo, da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), em Santa Catarina.

Gordura na cintura? Perigo!

O peso excedente, vale ressaltar, é um dos principais culpados pela síndrome metabólica, que contribui para piripaques cardiovasculares, a exemplo de infarto e derrame. "A tal síndrome é diagnosticada quando o paciente apresenta concentração de gordura abdominal e pelo menos mais dois fatores de risco, como glicose e triglicérides elevados, entre outros", descreve a endocrinologista Cíntia Cercato, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, em São Paulo. Ainda bem que a semente de chia, com seu ácido graxo anti-inflamatório, protege contra todo esse chabu.

A comprovação vem da Universidade Nacional Autônoma do México. Inicialmente, os cientistas pediram a voluntários com aquele combo de problemas que deixassem de consumir 500 calorias no seu dia a dia. Duas semanas depois, dividiram o pessoal em duas turmas. Enquanto uma ingeriu uma bebida à base de proteína de soja, aveia e chia, a outra recebeu uma mistura inócua. Em dois meses, todo mundo apareceu no laboratório com a barriga mais enxuta. Mas só o grupo que tomou o líquido com a semente viu fatores intimamente associados ao mal perderem força. "O mais interessante é que as duas turmas emagreceram igualmente, o que nos leva a concluir que a bebida foi, de fato, a grande responsável pela melhora da síndrome", reflete Cíntia.

Aproveitando que o assunto aqui gira em torno do coração, não dá para esquecer que o ômega-3 da chia ainda favorece a redução da pressão arterial. "Na prática, ele diminui a formação de tromboxano, uma molécula que estimula o aperto dos vasos. Por outro lado, aumenta a síntese de prostaciclinas, que são vasodilatadoras", ensina a nutricionista Anna Carolina Di Creddo Alves, do Instituto do Coração, na capital paulista. Sem falar que esse tipo gorduroso evita a oxidação do colesterol LDL, processo que o torna um verdadeiro vilão para o peito - afinal, é nesse formato que a molécula propicia o desenvolvimento de placas nas artérias.

Não vá pensando que a semente é indicada só para quem está com a saúde desajustada. Lá atrás, quando maias e astecas se deliciavam com o alimento, a intenção era aperfeiçoar a resistência física. Hoje, estudiosos da Universidade do Alabama, nos Estados Unidos, sabem que a estratégia funciona. Por um período, antes de provas longas, eles deram isotônico a seis atletas amadores. Depois, os voluntários tomaram uma mistura desse líquido com uma bebida à base de chia. Após cada intervenção, os rapazes correram por uma hora na esteira e mais 10 quilômetros em uma trilha. Acabada o suadeira, a surpresa: "Concluímos que o ômega-3 do grão melhora o rendimento dos atletas na mesma medida que o carboidrato do isotônico", revela Travis Illian, autor do projeto.

Para o cientista, a principal vantagem da descoberta é oferecer aos esportistas um substituto à altura para os tradicionais isotônicos, cheios de açúcar. Mas, se você não pretende participar de uma maratona, uma boa pedida é usar a farinha ou grão de chia duas horas depois dos exercícios. Assim, dá para aproveitar as fibras solúveis que a semente esbanja. "Essas substâncias retêm água, o que prolonga a hidratação e a presença de minerais no organismo", explica a nutricionista Paula Crook, da PB Consultoria em Nutrição, em São Paulo.

Foi justamente nessas versões, ou seja, semente e farinha, que a nutricionista Sandra Soares Melo, da Univali, levou o alimento andino para o laboratório. O objetivo era comparar a ação de ambas as variedades em temperatura ambiente e aquecidas. "Vimos que, por causa das fibras, todos os tratamentos estimularam o trânsito intestinal nos animais analisados", conta.

Contudo, quando a pesquisadora e seus alunos avaliaram o estresse oxidativo - fator relacionado a doenças como diabete e câncer -, ficou evidente que ele só foi amenizado quando as cobaias ingeriram o farelo que não passou pelo fogo. "Ele não apresenta gordura como a semente. E a substância é a principal a sofrer oxidação. Esse processo também é facilitado quando a temperatura está elevada", justifica Sandra. Logo, se a ideia é barrar o estresse oxidativo, já sabe: a farinha ao natural é a melhor opção.

Agora, se estiver de olho em uma ação mais global a favor do funcionamento do corpo, as sementes saem na frente. Basta consumir duas colheres de sopa todos os dias. Só duas mesmo. "Como a chia tem muitas fibras, pode dificultar a absorção de alguns minerais, além de desregular o intestino se não houver consumo adequado de água", frisa o nutricionista José Aroldo, diretor da Nutmed, no Rio de Janeiro. Seguindo essa recomendação, certamente você terá tantos motivos quanto as civilizações antigas para idolatrar a semente de chia.

Se a intenção é perder peso...

Seu principal objetivo com a chia é mesmo afinar a cintura? Então faça o seguinte: deixe a semente na água por pelo menos 40 minutos. Quando a mistura se transformar em um gel, adicione suco de uva sem açúcar para obter uma espécie de sagu. "Consuma no café da manhã ou no lanche do final da tarde. Dessa maneira, você evita abusos nas principais refeições do dia", aconselha a nutricionista funcional Vanderlí Marchiori, de São Paulo.

Fonte http://saude.abril.com.br/edicoes/0359/nutricao/chia-alem-emagrecimento-726737.shtml?origem=hotlinks
Consumo de calorias aumenta na crise financeira


Consumo de calorias aumenta em época de dificuldade financeira. Quando estão em crise, pessoas buscam alimentos calóricos.

Quem nunca ficou triste e decidiu atacar uma barra chocolate ou pote de sorvete? Muitas pessoas encontram conforto em comida quando estão passando por um momento difícil, mas uma nova pesquisa mostra que esse comportamento também acontece em épocas de dificuldade financeira. As informações são do Daily Mail.

A pesquisa publicada na revista Psychological Science descobriu que, nessas fases, pessoas que foram subconscientemente preparadas com mensagens como “viver por hoje” consumiram até 40% mais alimentos em comparação com as que ouviram mensagem neutras.

Indo mais além, quando os voluntários recebiam mensagens indicando que eram épocas difíceis, mas eram avisados que a comida era de baixa caloria, comiam até 25% menos. Segundo pesquisadores, isso acontece porque, durante a crise financeira, nós procuramos comer alimentos com maior teor de calorias.

De acordo com Juliano Laran, professor de marketing da Universidade de Miami, notícias deprimentes também causam o mesmo efeito, inclusive nos noticiários de televisão. "Agora que sabemos que este tipo de mensagens leva as pessoas a consumirem mais calorias como instinto de sobrevivência, seria sábio deixar de ver essas notícias por um tempo”, indicou.

Vários estudos foram realizados como parte da pesquisa. No primeiro, os pesquisadores convidaram voluntários para um teste de gosto do novo tipo M & M. Metade dos participantes recebeu uma amostra do doce e foi informada que o ingrediente secreto era chocolate de alto teor calórico. O outro grupo recebeu o mesmo pote de doce, mas foi informado de que o chocolate era de baixa caloria.

Em seguida, pesquisadores entregaram cartazes contendo frases neutras e frases sobre conflitos para os grupos. Por fim, descobriram que pessoas que foram subconscientemente preparadas para pensar sobre conflitos comeram 70% a mais que os demais.

"Estas descobertas podem ter implicações positivas para os indivíduos em cuidados com a saúde , campanhas de campo do governo sobre nutrição e empresas promotoras de bem-estar”, disse Laran.

Fonte: http://saude.terra.com.br/nutricao/consumo-de-calorias-aumenta-em-epoca-de-dificuldade-financeira,00dac3165fc6c310VgnVCM4000009bcceb0aRCRD.html#tarticle

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Facebook tira do ar fotos de mulher com câncer de mama por serem ‘pornôs’

Facebook tira do ar fotos de mulher com câncer de mama por serem ‘pornôs’

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Portal de Acessibilidade - Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (FADERS)Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social

Um banho de mar inesquecível em Capão da Canoa

15/01/2013
Projeto desenvolvido para cadeirantes proporciona momentos de lazer à beira da praia


Manoella de Andrade usou pela primeira vez a cadeira especial para entrar no mar. Crédito: Vinicius Roratto.

Há 20 anos sem poder tomar um banho de mar, Olga Andrade, 95 anos, que tem as penas paralisadas, pôde, nessa sexta-feira, sentir a água salgada do oceano em Capão da Canoa. O programa da Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (Faders), com apoio da Brigada Militar, disponibiliza quatro cadeiras especiais para entrada no mar. Além de Olga, a estudante Manoella Magnante de Andrade, 18 anos, também pôde sentir o balanço das ondas. Ela também tem paralisia nas pernas e há oito anos não chegava à beira da praia.

Um fisioterapeuta, um terapeuta ocupacional e um professor de Educação Física treinados acompanham o cadeirante no seu banho de mar. Em dias de pouco movimento, um salva-vidas fica na beira do mar observando o banho. Qualquer eventualidade, ele entra em ação. A Faders oferece o serviço gratuitamente, de sexta-feira a domingo, das 9h às 12h, e das 15h às 18h, na Casa de Governo, em Capão da Canoa.

De acordo com a filha de Olga, Carmem Andrade, esta ação "é algo fabuloso". A idosa mora em Santa Maria mas é natural de Rio Grande, onde costumava aproveitar a praia. Antes desse projeto, ressalta Carmem, também na companhia do enfermeiro Bruno Côrrea, ela pedia a uma salva-vidas que levasse sua mãe, no colo, para que ela pudesse sentir a sensação de estar dentro do mar. “Eles sempre a levaram de boa vontade”, afirma. “Mas eu não podia ficar tomando muito o tempo deles.”

Nessa sexta, Olga preferiu ficar na beirinha e, num primeiro momento, assustou-se com o mar e o balanço da cadeira. Sempre com a filha e o enfermeiro, que trajavam uma regata onde, do lado esquerdo, havia um retrato estilizado e a frase “Equipe Olga”, eles davam atenção à idosa – camiseta foi feita para comemorar os 90 anos dela.

Manoella também aproveitou bastante o passeio. Não queria mais sair de dentro da água. Foi a primeira vez que usou a cadeira especial para entrar no mar. Manoella disse que se sentiu muito segura e pretende começar a frequentar mais a praia. “A água do mar estava muito boa, não estava muito gelada”, disse. “Foi muito bom sentir a água batendo no meu corpo”, completou, entusiasmada.

Acompanhada pela mãe, Fernanda Maria Magnante, a acadêmica costumava ir à praia, mas, como não há muitos acessos para cadeirantes, a mãe parou de levá-la. Ambas são moradoras de Capão da Canoa. “Ela costumava jogar tênis para cadeirantes”, lembra Fernanda. “Mas teve que parar, pois chegou uma hora que não havia mais parceiros”, contou.

Cadeira ideal é feita no Estado

De acordo com a presidente da Faders, Marli Conzatti, o projeto foi feito pensando na acessibilidade dos cadeirantes no veraneio. Em outras cidades brasileiras já existiam cadeiras especiais, mas não davam certo. Segundo Marli, após uma pesquisa, foi encontrada uma cadeira fabricada no Rio Grande do Sul, com estrutura leve de metal, revestida de lona e com três rodas de tamanho maior que a usual, que permitem a flutuação na água. Além disso, apenas o pessoal da Faders pode entrar com o equipamento no mar.

O capitão Isandré Antunes de Souza, comandante dos salva-vidas em Capão, há dois anos as pessoas chegavam na frente das guaritas e pediam auxílio aos salva-vidas para levar o familiar cadeirante até o mar. O problema é que as rodas da cadeira normal atolavam na areia e havia sempre o risco de virar, derrubando o ocupante da cadeira. Após o projeto da Faders, os integrantes da Operação Golfinho ministraram um curso básico de como se comportar dentro do mar. “Porém, pedimos que quando houvesse um passeio deste, que fosse feito na frente da guarita”, salientou o capitão Antunes.

Fonte: Paulo Roberto Tavares / Correio do Povo


Fonte: Correio do Povo



Pessoa com deficiência poderá ter isenção de pedágio

16/01/2013
A senadora Ana Amélia (PP-RS) apresentou no final do ano passado um projeto de lei que isenta do pedágio em rodovias os carros dirigidos por pessoas com deficiência. Ela argumenta que o objetivo de sua proposta (PLS 452/2012) é fortalecer a integração social dessa parcela da população.

Ana Amélia lembra que o direito à integração das pessoas com deficiência está previsto no artigo 203 da Constituição e vem se consolidando por meio de iniciativas como a Lei 7.853/1989 e a Lei 10.098/2000.

A Lei 7.853 dispõe, entre outras medidas, sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência, sua integração social, sobre a Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência (Corde), institui a tutela jurisdicional de interesses coletivos ou difusos dessas pessoas e disciplina a atuação do Ministério Público. Já a Lei 10.098, entre outras providências, estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida.

É nesse contexto legal que se insere a iniciativa da senadora. Para permitir a isenção de pedágio para os motoristas com deficiência, seu projeto altera o artigo 2º da Lei 7.853.

O projeto será avaliado em duas comissões do Senado: primeiramente, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), onde tramita desde dezembro, e posteriormente na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). Nesta última, a matéria será avaliada em decisão terminativa, ou seja, se aprovado, o texto não terá de passar pelo Plenário – a não ser em caso de recurso – e poderá ser enviado diretamente à Câmara dos Deputados.

Trabalho conjunto

A proposta de Ana Amélia se junta a outro projeto de lei, o PL 3.624/2012, apresentado pelo deputado federal Afonso Hamm em abril do ano passado, também do PP gaúcho.

O projeto do deputado visa isentar do pedágio em rodovias federais os veículos que transportem pessoas com deficiência, sejam eles condutores ou passageiros. A matéria tramita na Câmara em conjunto com o PL 4.251/2001, projeto de lei mais antigo que, originalmente, previa a isenção de pedágio para veículos cujos proprietários sejam portadores de deficiência.


Fonte: Agência Senado



Capital passa a ter 226 ônibus com acessibilidade

14/01/2013
Nova frota de 13 ônibus foi entregue na sexta-feira pelo prefeito Fortunati

Com a nova frota de 13 ônibus, que foi entregue na última sexta-feira,11, pelo prefeito José Fortunati e pelo presidente da Carris, Sérgio Zimermann, Porto Alegre passa a ter uma frota de 377 ônibus, sendo 226 com acessibilidade universal. O prefeito fez questão de enfatizar a questão da acessibilidade. “Nenhum ônibus entra em Porto Alegre sem que a acessibilidade esteja previamente prevista”, disse o prefeito.

Para o secretário de Acessibilidade e Inclusão Social, Raul Cohen, esta nova frota é uma demonstração de progresso em Porto Alegre. “É um avanço para a população porto-alegrense receber esses modernos equipamentos de transporte, que vão atender a população da Capital, e, em especial, oferecer para as PCDs acessos conforme preceitua a acessibilidade universal”, comentou o secretário.

Texto de: Lucas Braz
Edição de: Caren Mello


Fonte: Portal PMPA



quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Dia Mundial da Alimentação -- Ecobenefícios

Portal de Acessibilidade - Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (FADERS)Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social


Viracopos terá equipamentos para atender pessoas com deficiência

08/01/2013
Imagem dos passageiros no saguão do Aeroporto de Viracopos. Foto Divulgação.

O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), vai receber cinco cadeiras de rodas para atender pessoas com deficiência.

O anunciou da compra das cadeiras foi realizado pelo diretor-presidente da concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, Luiz Alberto Küster.

Segundo informações da assessoria de imprensa, a decisão foi tomada na quinta-feira (03/01) depois de uma reunião realizada entre o presidente da concessionária e o secretário de Estado Adjunto dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Marco Antônio Pellegrini.

As cadeiras ficarão no Balcão de Informações do terminal de passageiros.

Além disso, Küster também determinou a compra de um ambulift, um equipamento que é uma espécie de ônibus que tem um elevador, usado para mover do avião os passageiros com dificuldades de locomoção.

O equipamento deve ser adquirido neste semestre.

"Cada vez mais nós temos que nos preocupar com as pessoas com deficiência, que devem ser tratadas com dignidade", disse Küster.

O presidente anunciou ainda a criação de um local especial para que pessoas com deficiência possam descer de veículos no acesso ao terminal do aeroporto.

"Também procuramos fazer o treinamento adequado de funcionários para o atendimento de pessoas com deficiência", disse o presidente.

Na reunião estavam presentes diretores da concessionária e o diretor técnico da Coordenadoria de Acessibilidade do Estado de São Paulo, Roque Eduardo Cruz.

Durante a reunião também foi destacado que os banheiros do saguão de Viracopos estão sendo adaptados para o acesso de pessoas com deficiência.


Fonte: Viracopos Portal de Serviços


Portal de Acessibilidade - Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (FADERS)Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social


Governo lança cartilha para combater falta de informações sobre pessoas com deficiência


Diretora presidente da Faders, Marli Conzatti, em seu pronunciamento, interpretado em Libras pela técnica da Faders, Celina, sob os olhares atentos do público. Foto Divulgação.07/01/2013
Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística revelam que 23, 85% dos gaúchos apresentam algum tipo de deficiência, mas apesar do percentual elevado, essa parcela da população, muitas vezes, sofre com a falta de informação dos seus interlocutores sobre suas limitações, e o desconhecimento sobre como lidar com elas. Para elucidar dúvidas e melhorar as condições dessa população, o Governo do Estado lançou, nesta segunda-feira (07) a cartilha ilustrada "Atitudes que Fazem a Diferença com Pessoas com Deficiência", em solenidade realizada no Palácio Piratini.

O manual de 34 páginas foi elaborado pela equipe técnica da Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e Altas Habilidades do Rio Grande do Sul (Faders), vinculada à Secretaria da Justiça e dos Direitos Humanos (SJDH). A publicação traz uma parte introdutória com dados gerais sobre os serviços disponíveis no Estado para essa população, sobre acessibilidade e tecnologia, dados estatísticos e legislação. Em seguida, explica os diversos tipos de deficiência e aponta maneiras simples de lidar no dia a dia com pessoas que apresentam algum tipo de limitação.

Com uma tiragem inicial de 5 mil exemplares, a cartilha será distribuída, primeiramente, em órgãos públicos e enviada às administrações municipais gaúchas. Em breve, nova tiragem permitirá também que escolas e outros ambientes disponham da cartilha.

O governador em exercício, Beto Grill, destacou durante o ato, o trabalho da SJDH e da Faders na elaboração da cartilha e na implementação do programa RS Sem Limite, o plano estadual que contém ações voltadas às pessoas com deficiência. "Costumamos medir o desenvolvimento do Estado, por meio de obras e de recursos financeiros, mas acredito que só se mede verdadeiramente o desenvolvimento de um lugar quando há melhoria na vida das pessoas. E tenho certeza de que, nesses dois anos, ações como esta têm melhorado a vida dos gaúchos e gaúchas que mais precisam", afirmou.

No mesmo sentido, o secretário da Justiça e dos Direitos Humanos, Fabiano Pereira, destacou o protagonismo das pessoas com deficiência na elaboração das políticas públicas, citando o sucesso da conferência realizada, em 2012, com os representantes dessa população. "Um dos lemas das pessoas com deficiência é 'nada sobre nós sem nós', e é assim que buscamos a inclusão: construindo a cidadania juntos e garantindo oportunidades iguais a todos", acrescentou Pereira.

Já a presidente da Faders, Marli Conzatti, lembrou as iniciativas da presidente Dilma Rousseff, em benefício das pessoas com deficiência, como o lançamento do plano Viver Sem Limite. Ela citou que 32 municípios gaúchos já aderiram a versão gaúcha do programa e mais 60 devem fazer o mesmo no primeiro semestre de 2013.

Uma das frentes previstas no RS Sem Limite, segundo Marli, é disseminar a informação na qual se insere a cartilha lançada nesta segunda. "Este material ajuda a transpor aquelas barreiras que são fruto da desinformação. Todos nós possuímos limitações e habilidades intrínsecas e conhecê-las garante uma vida com mais dignidade e cidadania", afirmou Marli. Representantes do Conselho Estadual das Pessoas com Deficiência, de entidades ligadas ao tema, da OAB e da Famurs estiveram presentes no lançamento da cartilha.

Texto: Gabriel Gabardo
Foto: Caroline Bicocchi
Edição: Redação Secom


Fonte: Secom




Campanha visa conscientizar sobre leis de acessibilidade em Ourinhos

06/01/2013
'Essa vaga não é sua nem por um minuto' quer orientar motoristas.
Iniciativa mostra que vaga para idosos ou deficientes deve ser respeitada.


Do G1 Bauru e Marília

Alertar, educar e não punir. Essa é a ideia da campanha "Essa vaga não é sua nem por um minuto". A iniciativa nasceu com o objetivo de orientar os motoristas sobre as vagas para idosos ou deficientes, que devem ser respeitadas. A novidade é o uso das redes sociais para auxiliar na conscientização.

Para ajudar esse público, uma associação de engenheiros de Ourinhos (SP) criou um selo especial que é colocado em lojas, restaurantes, supermercados e todo tipo de comércio que respeita as leis de acessibilidade. “Nós verificamos a rampa, o acesso e os sanitários. O deficiente tem que ter o mínimo de condições necessárias para o uso do imóvel”, diz Mário Bergamini, um dos organizadores do projeto.

No entanto, além da iniciativa, o respeito à acessibilidade também depende de respeito às leis. Com uma câmera fotográfica nas mãos, Wolney Moya, que perdeu a perna esquerda em um acidente de moto há quatro anos, flagra motoristas que insistem em estacionar de forma irregular nas faixas destinadas a deficientes.
Selos especiais são distribuídos para estabelecimentos acessíveis (Foto: Reprodução/TV Tem)

Todas as fotos vão parar em uma rede social. Assim, ele iniciou uma campanha que não tem como intenção punir, mas sensibilizar. “Nós fizemos a campanha de orientação durante um mês inteiro e, enquanto ensinávamos a população, ninguém era multado, mas agora estamos multando quem desrespeita a preferência de estacionamento do deficiente. Não aprendeu no amor, vai na dor”, alega o promotor de eventos.

Desde o início da campanha, Moya flagrou mais de 100 veículos estacionados de forma irregular. Para parar em uma vaga para idosos ou deficientes, é preciso ter um cartão que autoriza o estacionamento.


Fonte: G1 São Paulo




No Dia Internacional do Braille deficiente visual dá exemplo de vida

04/01/2013
Professor José Cícero Tenório comentou sobre a data específica


Márcio Ândrei

No Dia Internacional do Braille, 4 de janeiro, José Cícero Tenório da Silva, um dos professores da Escola Estadual de Cegos Cyro Accioly, que fica na Rua Pedro Monteiro, no Centro de Maceió, deu exemplo de vida ao relatar a vida de um deficiente e seus obstáculos superados.

José Cícero enfatizou a data comemorativa como uma das grandes ajudas para melhorar a vida dos deficientes visuais. O professor lembrou que a perda da visão não é um impasse capaz de deixar o indivíduo sem informação e inativo. Para driblar as dificuldades outros órgãos são aprimorados, com isso o sentido, sensibilidade entre outros levam vantagem em relação as pessoas que não tem deficiência.

O professor deu uma lição de vida ao demonstrar harmonia com a vida, principalmente pelas atividades executadas por ele, muitas vezes não desenvolvidas por quem não tem deficiência. Além de cantar e dirigir um coral o professor garantiu que leva uma vida praticamente normal, onde um dos maiores aliados é o rádio por informar as ocorrências cotidianas. José Cícero também destacou a falta de uma atenção maior para os deficientes, desta forma lembrou que as autoridades poderiam fazer mais por eles.

Como o deficiente visual lê em braille

Para que uma pessoa com deficiência visual consiga ler em braille é necessário uma combinação de seis pontos dispostos em duas colunas e três linhas, o Sistema Braille permite a formação de 63 caracteres diferentes, que representam as letras do alfabeto, os números, a simbologia científica, musicográfica, fonética e informática.

Esse sistema adapta-se perfeitamente à leitura tátil, pois os seis pontos em relevo podem ser percebidos pela parte mais sensível do dedo com apenas um toque.

Dados do IBGE

Segundo os novos dados do censo 2010, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) neste mês, existem no Brasil 6.585.308 pessoas com deficiência visual. Deste total, 582.624 pessoas possuem cegueira e 6.056.684 possuem baixa visão. O número representa 3,5% dos brasileiros, ou seja, a deficiência com maior incidência na população do país. A pesquisa revela ainda que 23,91% da população brasileira tem algum tipo de deficiência.


Fonte: Primeira Edição

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Portal de Acessibilidade - Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (FADERS)Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social


INSCRIÇÕES ABERTAS PARA ESTÁGIO OBRIGATÓRIO

28/12/2012
A FADERS tem como um dos seus objetivos proporcionar aos acadêmicos adquirirem novas experiências, fazerem trocas com profissionais de diversas áreas de atuação e desenvolver uma visão prática aprimorando os seus conhecimentos teóricos.

Sendo assim, no ano de 2013 estão abertas vagas de Estágio Obrigatório para as seguintes áreas:
8 vagas de fonoaudiologia
5 vagas de psicologia
4 vagas de psicopedagogia
4 vagas de educação física.

Os estágios serão desenvolvidos nas Unidades da FADERS.

A FADERS têm Termo de Cooperação Técnica com as seguintes Universidades: UFSCPA, IPA, FAPA, PUCRS, UNIASSELVI, UFSC, ULBRA. E encontra-se aberta para novas parcerias.

Maiores informações pelo telefone 3287.6518 com a Coordenação de Capacitação.


Fonte: Assessoria Técnica




Yves Goulart fala sobre Além da Luz no Globo Notícia Américas

27/12/2012
O "Globo Notícia Américas", com a jornalista Mila Burns, traz uma entrevista com o cineasta Yves Goulart sobre o documentário "Além da Luz", que teve o lançamento do DVD no dia 30 de novembro de 2012, em Nova York.

ALÉM DA LUZ
www.goulartfilmes.com/alemdaluz
Categoria: documentário
(Colorido-NTSC / 82 min. / Brasil e EUA - 2010)
Sinopse: Quando se fala em deficiência visual, muitas vezes somos levados a pensar em algo triste e limitador. Em Além da Luz, entretanto, sete cegos brasileiros nos mostram com muito otimismo, humor e desenvoltura como vivem uma vida normal e até mesmo mais produtiva que muitas pessoas comuns. Mais do que um exemplo de superação e coragem, Além da Luz é um dos raros filmes sobre deficiência que te deixa inspirado, motivado e com mais vontade de viver.
Sobre o DVD:
Idiomas: Áudio: português (original), inglês (voice-over) e francês (voice-over) / Audiodescrição: português, inglês e francês / Legendas: português, inglês, francês, espanhol e chinês / Menus: português, inglês e francês.
Extras: Mais de 90 minutos de comentários sobre o filme no Brasil, EUA, França, México, China e Benim / Entrevista exclusiva com o diretor Yves Goular / Depoimento exclusivo do fotógrafo Walter Carvalho.

Ative o vídeo no plug-in, ou assista clicando neste link acessível para usuários de programas leitores de telas.


">.

Entrevista publicada: Domingo, 16 de dezembro de 2012, na Globo Internacional em Nova York.


Fonte: Blog da Audiodescrição


Surdos usam sistema especial em processo seletivo do IFPB

27/12/2012
Sistema é usado de forma pioneira entre institutos federais, diz IFPB.
Quatro candidatos também fizeram as provas de maneira diferenciada.


Sistema foi usado de forma pioneira na PB em relação aos Institutos Federais do país (Foto: Divulgação/Ascom IFPB).

Um grupo de candidatos surdos foi o primeiro a usar um sistema desenvolvido especialmente para o Processo Seletivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) que aconteceu no domingo (23), em João Pessoa. De acordo com a assessoria de imprensa da instituição, o sistema consiste em uma transcrição do Português para a escrita em Libras e com conteúdo gravado em vídeo por intérpretes.

A intérprete de Libras do Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Especiais do IFPB (Napne), Elisete Olinto Ferreira, explicou que o processo durou mais de um mês para ser preparado. “Eu e uma parceira de trabalho interpretamos o conteúdo das provas na linguagem de sinais com a ajuda de professores, depois a equipe da Coordenação de Audiovisual gravou as imagens em um vídeo”.

Ainda de acordo com a assessoria, para cada um dos 12 candidatos surdos, 8 para os Cursos Técnicos Integrados e 4 para os Cursos Técnicos subseqüentes, foi disponibilizado um computador além de um intérprete.

Eles podiam rever as questões e as alternativas usando o CD e marcar a resposta que achassem certa no gabarito. Os computadores foram preparados apenas para fazer a leitura do vídeo, não dispunham de nenhum outro programa.

O reitor João Batista de Oliveira Silva que acompanhou o Processo Seletivo para os Cursos Técnicos Integrados e Subsequentes (PSCT) elogiou o trabalho da equipe envolvida no Processo Seletivo.

Ele destacou o pioneirismo do IFPB entre os Institutos Federais no país nessa experiência com os surdos. “Eu considero este processo uma inovação tecnológica do nosso Instituto. Pude ver a alegria e a satisfação dos candidatos e isso é gratificante. Não tenho dúvida de que estamos avançando no sentido de uma escola cada vez mais inclusiva”, afirmou.

De maneira diferenciada
Outros quatro candidatos também fizeram as provas do PSCT em João Pessoa de forma diferenciada, segundo a assessoria do IFPB. Um candidato do Alto do Mateus com catapora fez o exame em casa e outros três em hospitais. Todos tiveram o acompanhamento de um fiscal. O IFPB também disponibilizou salas especiais para deficientes visuais e cadeirantes.


Fonte: G1 PB


Portal de Acessibilidade - Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (FADERS)Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social


Feliz 2013


28/12/2012
"Nas comemorações da passagem de ano, a FADERS reafirma o seu desejo de que se multipliquem AÇÕES que objetivem a construção de boas relações humanas que vejam, sintam e interajam positivamente, em todos os contextos da vida.
A defesa de direitos iguais, com acessibilidade universal, para todos as pessoas, praticada, assim, em rede, é um legado que servirá de exemplo para a construção de sociedades menos individualistas e mais tolerantes em que todos, mesmo com suas diferenças, vivam como irmãos."



PRIMEIRA VACINA

PRIMEIRA VACINA

FOTOS

FOTOS
NEUROMUSCULAR EM SÃO PAULO

Postagens populares

HIDROTERAPIA

HIDROTERAPIA