RELÓGIO

PARTICIPE SENDO UM SEGUIDOR DO BLOG

www.stepaway-polio.com

Google+

MAPA MUNDI

free counters

segunda-feira, 27 de agosto de 2012


Instituto inicia no Rio pesquisa pioneira em pacientes com câncer ósseo.


Da Agência Brasil Rio de Janeiro - Uma pesquisa pioneira iniciada este mês com células-troco tumorais em pacientes com diagnóstico de osteossarcoma, um tumor maligno dos ossos cuja incidência é maior em crianças e jovens com idade entre 10 e 20 anos, poderá fornecer informações importantes sobre a resposta do paciente à quimioterapia. O objetivo é descobrir novas estratégias para o tratamento. O estudo é realizado por profissionais do Centro de Pesquisa em Terapia Celular e Bioengenharia do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia no Rio (Into). Ele consiste no isolamento e expANSão in vitro de células-tronco tumorais, sendo composto por duas etapas: a primeira no ato da biópsia e a segunda após o tratamento com quimioterapia. De acordo com a chefe da Divisão de Pesquisa do Into, Maria Eugênia Duarte, com a pesquisa, os profissionais pretendem identificar as células-mãe responsáveis pela formação de grupos de células dentro do mesmo tumor. Segundo ela, só após essa identificação, será possível avaliar se ocorreu ou não uma melhora no quadro clínico do paciente. ''É claro que, se depois do tratamento a gente observar que esse número de células-tronco caiu muito, nós vamos poder dizer que o paciente teve uma melhora ou pior resposta ao tratamento'', explicou. A especialista destacou que qualquer informação obtida por meio da pesquisa a respeito do tumor será bem-vinda. Ela lembrou que devido à agressividade da doença, em apenas cinco anos dois terços dos pacientes morrem. Em média, a pessoa sobrevive de dois a quatro anos. Segundo Maria Eugênia, isso ocorre porque o tratamento de quimioterapia usado pelos médicos é o mesmo adotado na década de 70. ''Em outras palavras, não aconteceu quase nada em termos de evolução do tratamento do osteossarcoma. A nossa idéia é que, por meio desses resultados, possamos ajudar a melhorar e a entender um pouco melhor a baixa resposta desses tumores ao tratamento quimioterápico". A pesquisadora disse que, em geral, as células-troco tumorais representam cerca de 1% da massa tumoral, sendo extremante resistente a qualquer tipo de tratamento. Ela destacou ainda as dificuldades de se fabricar um remédio capaz de combater as células-mães, responsáveis pelo desenvolvimento do tumor. Maria Eugênia Duarte também ressaltou que essa nova linha de estudo é pioneira no país e já está disponível para pacientes provenientes do Sistema Único de saúde (SUS). ''É a primeira instituição pública do Brasil que está disponibilizando esse serviço para o paciente do SUS. É bastante interessante a gente ressaltar que hoje o paciente da rede pública, tratando no instituto, pode ter acesso a esse tipo de exame'' garantiu. Ela explica que, em média, o número de pessoas que desenvolve esse tipo de tumor no organismo chega a 40 anualmente no estado Rio. ''É um número que não é muito alto, mas se você pensar no comprometimento da qualidade de vida que essas crianças têm, no grau de sofrimento físico que isso envolve, se a gente puder, por meio de um pequeno exame, ajudar essas crianças, é muito bom'', disse. Edição: Davi Oliveira


Fonte: Terra

Pesquisas tentam livrar castanha-do-brasil da contaminação por fungos.



A castanha-do-brasil possui alto valor nutricional, é rico em selênio, proteínas, vitaminas e ácidos graxos insaturados. Mas, apesar de ser um alimento de qualidade, está com sua cadeia produtiva ameaçada pela contaminação de micotoxinas (toxinas produzidas por fungos) com potencial cancerígeno.

Pesquisadores de várias unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária ?Embrapa, universidades e instituições de pesquisa, articulados no projeto de pesquisa Micocast, sob a liderança da Embrapa Acre, buscam contribuir para o desenvolvimento de novas tecnologias e gerar informações científicas que auxiliem no diagnóstico e controle da contaminação da castanha-do-brasil por essas toxinas.

A informação foi apresentada pela pesquisadora da Embrapa Amazônia Ocidental, Daniela Bittencourt, durante a palestra "Micotoxinas em amêndoas da castanheira-do-brasil", realizada na programação do 45° Congresso Brasileiro de Fitopatologia, que aconteceu em Manaus, de 19 a 23 de agosto.

A contaminação está relacionada às condições de armazenamento, secagem e exposição das castanhas à umidade relativa da região, facilitando a ocorrência de aflatoxinas (do tipo B1, B2, G1 e G2) em toda a cadeia produtiva da castanha-do-brasil. As aflatoxinas são produzidas principalmente pelos fungos Aspergillus flavus e Aspergillus parasiticus, e são potencialmente cancerígenas para o ser humano.

A pesquisadora expôs um panorama da situação de contaminação das amêndoas de castanha-do-brasil, destacando que é um problema que coloca em risco a saúde pública e também compromete a economia da região amazônica, pois o produto que antes era exportado para o mercado europeu passou a ser recusado, diante de medidas mais restritivas da comunidade européia em relação aos níveis tolerados de aflatoxina, o que desencadeou redução de mais de 90% nas exportações, a partir dessas restrições.

"Os lotes contaminados de castanha que não puderam ser exportados passaram a ser redirecionados ao mercado interno menos restritivo, constituindo-se em um risco para a saúde da população brasileira", informou. "Isso não quer dizer que comer castanha necessariamente dá câncer", esclareceu a pesquisadora, informando que dependendo da quantidade e frequência do consumo de castanhas contaminadas com aflatoxinas, combinadas com fatores do organismo de cada individuo, isso pode tornar propício o desenvolvimento de câncer. 

Por isso há uma preocupação muito forte na comunidade europeia, que se reflete nas restrições à entrada de produtos com esse problema. Como exemplo, no Brasil o limite máximo tolerado para a presença de aflatoxinas totais para castanha-do-brasil sem casca para consumo direto é de 10 ppb (partes por bilhão) enquanto no mercado europeu esse limite varia de 4 ppb para aflatoxinas totais e fica em 2 ppb para aflatoxinas do tipo B1. Em alguns países, como a França, o limite tolerado é 1 ppb para aflatoxina B1 . "Por que não se tem limites iguais, nos países? Já que é uma questão de saúdepública", comentou a pesquisadora.

Outro aspecto dessa questão, citado pela pesquisadora da Embrapa, é que pesquisas mostram que a concentração de aflatoxinas reduz quando se adota boas práticas de beneficiamento. Ou seja, se houver investimento tecnológico e organização da cadeia produtiva da castanha-do-brasil para se ter um escoamento mais rápido, diminuindo o tempo de armazenamento e adotando melhorias no beneficiamento, o nível de aflatoxina presente nas amêndoas diminuirá.

A pesquisadora citou que a Bolívia tem investido em processamento para vender essas castanhas com melhor qualidade que o Brasil e com isso deu um salto nas exportações e responde por 70% do mercado mundial de castanha, sendo que grande parte de sua produção é comprada do Brasil, que produz de 45 a 60 mil toneladas por ano e emprega 60 mil famílias. Assim grande parte das castanhas-do-Brasil que deixaram de ser vendidas para o mercado europeu, são vendidas para a Bolívia que as beneficia e  exporta, agregando valor ao produto. "Estamos perdendo mercado e divisas", alerta a pesquisadora.

Nesse contexto, a Embrapa vem dando sua contribuição em pesquisas voltadas para a melhoria da cadeia produtiva e da qualidade da castanha-do-Brasil, que é um fonte importante de alimento e também de atividade de produção florestal não-madeireira, na Amazônia.

Um passo importante foi a caracterização da cadeia produtiva para identificar quais etapas eram mais afetadas por altos níveis de contaminação por aflatoxina, isso foi realizado a partir de estudos no Pará e Acre, com participação das unidades da Embrapa nesses estados, por meio do projeto Safenut, realizado de 2006 a 2008, sob coordenação do Cirad (Centro de Cooperaçao Internacional em Pesquisa Agronômica para o Desenvolvimento, com sede na França). Essa caracterização continua, com a participação da Embrapa, agora nos estados do Amazonas e Amapá, por meio do projeto em rede Micocast, iniciado em 2009 com término para o final de 2012.

Os esforços desse projeto estão direcionados para inovações tecnológicas para o controle da contaminação da castanha-do-brasil por aflatoxinas. Isso inclui estudos epidemiológicos e estudos sobre a diversidade da população dos fungos, além do desenvolvimento de alternativas tecnológicas para aprimorar a secagem de forma mais rápida e eficiente e ainda o desenvolvimento de métodos rápidos e menos onerosos de detecção de fungos produtores de aflatoxinas e micotoxinas na castanha.

A pesquisadora da Embrapa Amazônia Ocidental, Daniela Bittencourt, e o pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Rogério Hanada, pesquisam a diversidade de fungos isolados e identificaram, por meio da biologia molecular, os fungos que mais ocorrem e produzem aflatoxinas nas castanhas. Os resultados parciais mostram diversidade genética elevada desses fungos. De acordo com a pesquisadora Daniela, esses resultados serão importantes para desenvolver uma ferramenta molecular para identificação de fungos do gênero Aspergilus spp. produtores de micotoxinas no fruto.

A pesquisadora explicou que atualmente, a técnica oficial de detecção da aflatoxina e outras micotoxinas é a cromatografia, que detecta a toxina, mas não o fungo, não sendo recomendada no monitoramento da cadeia produtiva. "A identificação precisa destes organismos associada à melhor compreensão dos mecanismos moleculares que desencadeiam a produção de aflatoxinas por Aspergillus spp., possibilitará o desenvolvimento de um método diagnóstico molecular rápido, eficiente e sensível, que não onere demasiadamente o custo final do produto, ao mesmo tempo em que garanta a sua qualidade", informou a pesquisadora.

Síglia Regina / Jornalista MTb 66/AM
Embrapa Amazônia Ocidental
Contatos: (92) 3303-7852 / 3303-7860   siglia.regina@cpaa.embrapa.br


Fonte: Embrapa

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Portal de Acessibilidade - Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (FADERS)Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social



Residências para jovens e adultos com deficiência serão inauguradas em novembro

21/08/2012
País começa a adotar novo modelo de atendimento para essa parcela da população


As primeiras casas destinadas ao acolhimento de jovens e adultos com deficiência, em situação de dependência – ou seja, pessoas que necessitam de maiores cuidados de terceiros para fazer atividades básicas do cotidiano – serão inauguradas em novembro. Cada uma delas, chamadas de residências inclusivas, deverá acolher até dez pessoas, funcionando 24 horas por dia ininterruptamente.

As unidades terão a aparência de uma casa comum, sem placa ou indicativo de que ali funciona um serviço de acolhimento. A meta do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) é instalar 40 residências inclusivas ainda este ano.

Com a ação, que integra o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Viver sem Limite, o MDS começou a apoiar o reordenamento dos serviços de acolhimento destinados a essa população, visando à extinção dos grandes abrigos e à qualificação do atendimento, por meio da instalação de residências inclusivas, unidades de acolhimento adaptadas e inseridas na comunidade.

As unidades devem ser instaladas de acordo com as normativas e orientações técnicas divulgadas pelo MDS. Em novembro, o Ministério promoverá mais uma etapa de cofinanciamento para que novos municípios façam a adesão, com previsão de apoio financeiro para outras 31 residências inclusivas.


Benefício de Prestação Continuada

As residências inclusivas oferecem atendimento integral a jovens e adultos com deficiência, em situação de dependência, prioritariamente aos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Em todo o País, 2,1 milhões de pessoas com deficiência recebem o BPC. O benefício assegura a transferência mensal de um salário mínimo a idosos, com 65 anos ou mais, e a pessoas com deficiência, de qualquer idade, com renda mensal familiar per capita inferior a um quarto do salário mínimo.


Censo IBGE

Segundo o Censo 2010, o Brasil tem mais de 45 milhões de pessoas com deficiência, o que corresponde a aproximadamente um quarto da população. Desse total, 6,7% têm alguma deficiência severa, o que pode indicar a existência de dependência.

A dependência pode afetar as capacidades funcionais das pessoas com deficiência. Essa situação, junto com as barreiras, limita as tarefas diárias e restringe a participação social. Para desenvolver atividades básicas do cotidiano, como preparar um alimento, vestir-se e tomar banho, o usuário do serviço contará com o apoio de profissionais responsáveis pelo cuidado direto.


Autonomia

No Brasil, historicamente, pessoas com deficiência foram separadas da sociedade e muitas da própria família, devido à falta de condições para os cuidados necessários. Foram acolhidas em instituições que atuam no modelo de asilos, muitos deles localizadas longe de áreas residenciais e do convívio comunitário.

“A proposta é romper essa prática histórica de isolamento. Outra questão é qualificar ainda mais o trabalho técnico com essas pessoas, com o atendimento personalizado e em pequenos grupos, localizado na comunidade”, diz a coordenadora-geral de Serviços de Acolhimento do MDS, Mariana Sousa Machado.

O novo modelo de atendimento, baseada em residências inclusivas, pretende contribuir para a interação e superação de barreiras, com vistas à maior independência e protagonismo no desenvolvimento das atividades da vida diária. Dependendo das particularidades de cada caso e das possibilidades de oferta e acesso aos apoios na comunidade, poderá haver, inclusive, desligamento do serviço de acolhimento e o encaminhamento para outras formas de inserção social, ou mesmo o retorno ao convívio familiar.


Fonte: Site Governo Federal
Portal de Acessibilidade - Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (FADERS)Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social


São Lourenço do Sul sediou o IV Encontro Estadual dos Profissionais Capacitados para o Atendimento Odontológico à Pessoa com Deficiência


Diretora Técnica da Faders, Clarissa Beleza participou com autoridades locais da mesa de abertura de atividades em São Lourenço do Sul. Foto Divulgação.
22/08/2012
Ocorreu nos últimos dias 16 e 17 de agosto em São Lourenço do Sul o IV Encontro Estadual dos Profissionais Capacitados para o Atendimento Odontológico à Pessoa com Deficiência. A atividade, reuniu profissionais capacitados ao longo das doze edições do Curso de Aperfeiçoamento Para Cirurgiões Dentistas e Pessoal Auxiliar no Atendimento odontológico ao Paciente com Deficiência e Necessidades Especiais que desde 2000 é realizado pela FADERS, e que contou com a presença de profissionais de diversas partes do Estado, aonde o Salão Paroquial da Igreja Matriz foi o local que recebeu as atividades.

O atual momento é de alta mobilização para o atendimento adequado e especializado às pessoas com deficiência e pessoas com necessidades especiais, uma vez que foi lançado em âmbito federal o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Viver sem Limites e o estado do Rio Grande do Sul aderiu ao plano lançando o RS Sem Limite. Neste sentido, o evento teve por objetivo, atualizar conhecimentos, proporcionar relatos das experiências de serviços de atendimento odontológico especializado, viabilizar a discussão entre profissionais capacitados e gestores sobre os entraves e propostas para o avanço do projeto de construção da rede de referência em atendimento pessoas com deficiência, promover a organização das políticas públicas e dos serviços de atenção à saúde odontológica aos deficientes no estado do Rio Grande do Sul. Objetivos estes que foram alcançados pelos intensos debates e a construção coletiva do documento “Carta de São Lourenço do Sul”.

A mesa de abertura das atividades, contou com a presença da diretora técnica da FADERS, Clarissa Beleza, que falou da importancia da atividade como uma via de fortalecimento dos serviços de saúde bucal no estado: " A atividade é uma feliz estratégia, para a construção, fortalecimento e implantação de serviços de saúde bucal à pessoa com deficiência no estado" disse Clarissa. O prefeito de São Lourenço do Sul, José Sidney de Almeida, também saudou a iniciativa da atividade no município: "Fazer um encontro, que reúne profissionais especialistas em saúde bucal, em especial para as pessoas com deficiência, é uma honra para o nosso município. Eu sempre digo que saúde pública é uma engrenagem, onde é necessário ter profissionais capacitados". A solenidade ainda contou com a presença na mesa de abertura do representante da secretaria de saúde, Ramsés de Araújo e do secretário de saúde local Arilson Cardoso que também falaram para os profissionais presentes.

O último encontro dos profissionais capacitados para o atendimento odontológico à pessoa com deficiência havia acontecido em 2010, em Santa Cruz do Sul. Na ocasião, uma comitiva de São Lourenço do Sul, apresentou as experiências em saúde bucal no município, o que levou o município a ser escolhido para sediar a 4ª edição do encontro.Entre as atividades ocorridas ao longo dos dois dias, destaque para apresentação da análise dos programas de atendimento odontológico à pessoas com deficiência nos municípios gaúchos, assim como da capacitação realizada através do curso de aperfeiçoamento para cirurgiões dentistas e auxiliares apresentado pela doutora Fernanda Franco, além de diversos ciclos de debates com os participantes. Também foram divulgadas as políticas públicas municipais voltadas à saúde bucal em São Lourenço do Sul. Além disso, foi apresentado aos participantes a atualização dos dados referentes ao curso, que segundo informações da última edição, já foram capacitados ao todo mais de 234 profissionais, sendo eles de 109 municípios, onde o curso chega a sua 12ª edição.


Fonte: ACOM Faders



Acessibilidade à democracia


Foto de Marli Conzatti21/08/2012
MARLI CONZATTI

O processo eleitoral brasileiro, um dos mais modernos do mundo, com votação eletrônica em 100% das cidades, ainda não é acessível a todos. O problema da falta de acessibilidade nos locais de votação é maior do que imaginamos, já que as seções eleitorais, em sua grande maioria, estão em locais não acessíveis às pessoas com deficiência.
Lembramos, neste sentido, que a Resolução n° 23.381 do TSE institui o Programa de Acessibilidade da Justiça Eleitoral, fundamentada na Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência da Organização das Nações Unidas, ratificada pelo Brasil. Essa medida tem como objetivo eliminar barreiras físicas, arquitetônicas, de comunicação e de atitudes para dar segurança e autonomia às pessoas com deficiência nas eleições.
O voto é um direito e ao mesmo tempo um dever. Por isso, todas as zonas eleitorais devem ser acessíveis de forma universal. A acessibilidade à urna para o eleitor cego está adequada, as urnas têm teclas em braile e contarão com sistema de áudio, por meio do qual o eleitor cego pode ouvir os números digitados, além do nome do candidato e do partido no momento da votação. Temos ainda de ampliar esse acesso aos cadeirantes e demais pessoas com deficiência, disponibilizando locais sem obstáculos para votação.
No entanto, a acessibilidade à urna não é o mesmo que acessibilidade ao processo eleitoral. O eleitor com deficiência precisa conhecer os candidatos, ter acesso a informações em braile, em sítios adequados e, também, incluir a audiodescrição e a Libras _ língua brasileira de sinais _ em todos os programas eleitorais. São milhões de eleitores com deficiência que querem e devem votar, e não basta apenas o direito ao voto, mas a acessibilidade plena ao processo eleitoral.
A acessibilidade universal vai facilitar a vida das pessoas com deficiência, dos idosos, das mulheres grávidas, das pessoas com mobilidade reduzida, enfim, de todos que têm o direito de exercer sua cidadania com a escolha de seu representante para a Câmara e o Executivo municipal. Isso é pensar numa cidade que acolhe sua população e promove a cidadania com qualidade de vida.
À frente desse processo de garantia de direitos, o governo do Estado, através da Faders, juntamente com a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, o Coepede, o Condepa e Rumo Norte abrem a 18ª Semana Estadual da Pessoa com Deficiência _ "Podemos, sim, fazer a diferença", de hoje a 28 de agosto, no Ministério Público Estadual. Esse evento vai se desenrolar simultaneamente em mais de 20 municípios do RS, e acessibilidade, direitos e cidadania serão temas de grande destaque nas discussões dos seus encontros e seminários.

Presidenta da Faders _ Fundação de Articulação e Desenvolvimento da Política Pública para PcD e PcAH no RS


Fonte: Zero Hora
Portal de Acessibilidade - Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (FADERS)Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social


TJDFT lança vídeo em defesa dos banheiros destinados às pessoas com deficiência

22/08/2012
Por SB

Você costuma aproveitar para usar os banheiros mais espaçosos destinados às pessoas com deficiência? A servidora Gleide Araújo, do Serviço de Atendimento ao Beneficiário do TJDFT, mostra em um vídeo de um minuto a importância de respeitar esses banheiros.Assista ao vídeo. 
Esse é o último de três vídeos produzidos pelo Núcleo de Inclusão – NIC, em parceria com Assessoria de Comunicação Social, com o propósito de conscientizar os servidores do TJDFT para a necessidade de respeitar os espaços exclusivos destinados aos colegas e aos usuários da justiça com deficiência.

Com o slogan O ESPAÇO EXCLUSIVO É O ESPAÇO DE INCLUSÃO, o NIC pretende alertar para atitudes que trazem prejuízos às pessoas com deficiência. Esta semana, o tema abordado são os banheiros exclusivos. Mais espaçosos que os outros, esses banheiros acabam sendo um atrativo para algumas pessoas que desconhecem sua finalidade. A pessoa com deficiência, sobretudo a cadeirante, tem formas muito específicas de utilizar o toalete que precisa estar sempre muito bem higienizado. O uso por outras pessoas traz riscos à saúde dos seus verdadeiros destinatários.

O Núcleo de Inclusão é uma iniciativa pioneira do TJDFT. Com sua criação em 2009, subordinado à Presidência da Casa, o Tribunal tornou-se o primeiro a contar com uma estrutura específica para promover a inclusão social das pessoas com deficiência, antecipando-se à Recomendação nº 27, do Conselho Nacional de Justiça, que prescrevia a adoção de "medidas para a remoção de barreiras físicas, arquitetônicas, de comunicação e atitudinais de modo a promover o amplo e irrestrito acesso de pessoas com deficiência.

Para assistir aos outros vídeos da série O ESPAÇO EXCLUSIVO É O ESPAÇO DE INCLUSÃO,clique aqui.


Fonte: TJDFT



Atletas e artistas com deficiência serão destaque da abertura dos Jogos Paralímpicos de Londres

22/08/2012
Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A uma semana da abertura dos Jogos Paralímpicos de Londres, atletas de edições anteriores do evento e artistas com deficiências, além de militares feridos em combate, serão os destaques da festa. Os jogos começam no dia 29 e vão até 9 de setembro. A previsão é que 4,2 mil atletas, de 165 países, participem. Os atletas brasileiros disputam 18 modalidades entre as 20 que integram os Jogos.

O espetáculo da abertura, batizado de O Iluminismo, contará com a participação de 3 mil voluntários, mais de 100 crianças e 100 artistas profissionais. O início do espetáculo está marcado para as 19h30 (15h30 de Brasília) do dia 29. Haverá uma apresentação aérea com pilotos com deficiências.

Os primeiros Jogos Paralímpicos ocorreram em 1960, em Roma, na Itália. São eventos que reúnem atletas com deficiências físicas, visuais ou mentais. Na última edição, em 2008, em Pequim (China), o Brasil ficou em 32º lugar no quadro de medalhas.

Em entrevista à EBC, o subchefe da Delegação Brasileira Paralímpica, Jonas Freire, disse que é a primeira vez que o Brasil proporciona a aclimatação para os atletas brasileiros antes da disputa dos Jogos Paralímpicos. Segundo ele, a meta é ficar em sétimo na colocação geral.

Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa. Edição: Juliana Andrade


Fonte: Agência Brasil




Veja dicas de como conviver com as diferenças

22/08/2012
TV Câmara -

"Você fica constrangido quando encontra uma pessoa com deficiência? Então está na hora de mudar! Deficiência não é doença e essas dicas são para você!" Os interprogramas produzidos pela TV Câmara querem atrair, dessa forma, a atenção para o assunto, de uma maneira didática, prática e sem preconceitos. A série foi veiculada na TV Câmara como parte das comemorações do Dia da Acessibilidade

São cinco animações que ensinam atitudes simples para se relacionar e também ajudar os deficientes. O roteiro de “Convivendo com as Diferenças” foi baseado no Manual de Convivência, elaborado pela deputada federal Mara Gabrilli, do PSDB/SP. As peças têm direção e roteiro de Dulce Queiroz, jornalista do núcleo de Documentários da TV Câmara. As ilustrações são de Daniel Carvalho e a animação é de Tiago Keise.


Convivendo com as diferenças - Cadeirante 
">.

Convivendo com as diferenças - Surdos
">.

Convivendo com as diferenças - Cegos
">.

Convivendo com as diferenças - Deficientes Físicos 
">.
Convivendo com as diferenças - Deficientes Intelectuais 
">.

Fonte: Agência Brasil

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Ticket de Espera


Começa neste sábado campanha de vacinação do Ministério 


da Saúde


Calendário passa a contar com duas novas vacinas. 
Serão cerca de 10 mil doses de vários tipos nos postos de saúde. 


Neste sábado (18) começa uma campanha do Ministério da Saúde para colocar em dia as carteiras de vacinação das crianças de até cinco anos de idade. Duas novas vacinas vão começar a ser utilizadas, como mostrou o RJTV.
São cerca de 10 mil doses de diversos tipos disponíveis nos postos de saúde, contemplando as 10 variedades que têm que ser tomadas até os cinco anos.
“A importância da vacina é fundamental para as crianças. Depende disso a saúde deles. Então, jamais eu iria atrasar”, diz Teresa Mariano, mãe do Fabrício e do Felipe.
Uma boa novidade é que as vacinas contra a hepatite B e a tetravalente foram colocadas numa mesma dose, chamada de pentavalente, que protege contra: difteria, tétano, coqueluche e meningite, além da hepatite B.
Já a vacina contra a paralisia infantil, geralmente aplicada por via oral, vai estar disponível de forma injetável para os bebês de dois meses que nunca receberam a proteção
.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Portal de Acessibilidade - Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (FADERS)Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social


Projeto obriga escolas a oferecer condições de acessibilidade

15/08/2012
A Câmara analisa o Projeto de Lei 3512/12, do deputado licenciado Romero Rodrigues (PSDB-PB), que obriga as escolas de todos os níveis a oferecer condições de acessibilidade para estudantes com deficiência. A proposta também exige que os estabelecimentos escolares ofereçam mobiliário e equipamentos adequados a esses alunos.

Romero Rodrigues argumenta que, embora a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB –Lei 9.394/96) assegure a educação especial em todas as escolas, “há questões concretas que permanecem sem o devido encaminhamento, como as condições de acessibilidade e a adequação do mobiliário escolar e dos equipamentos de laboratórios”.

Tramitação
O projeto tramita em conjunto com a proposta que cria o Estatuto da Pessoa com Deficiência (PL 7699/06). O estatuto aguarda inclusão na pauta do Plenário.

Íntegra da proposta:
PL-3512/2012
Reportagem – Maria Neves
Edição – Pierre Triboli


Fonte: Agencia Câmara de Notícias




Retina artificial devolve visão à camundongo cego

15/08/2012
Por Charles Nisz

Dois cientistas do Weill Cornell Medical College mapearam o código neural da retina de um rato e acoplaram essas informações numa prótese de retina artificial e com isso, conseguiram restaurar a visão de um rato cego. A pesquisa foi publicada na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences.

Os pesquisadores também mapearam a retina de um macaco - muito similar às dos seres humanos. Sinal que algo parecido pode ser feito no futuro com a retina humana. É um enorme avanço nas pesquisas contra a cegueira. Em todo o mundo, cerca de 25 milhões de pessoas são cegas por conta de problemas na retina.

As próteses atuais permitem que os usuários percebam nuances de luz e transitem pelos ambientes. A ideia do novo dsipositivo é restaurar a visão por completo. Segundo Sheila Nirenberg, chefe da pesquisa, "no futuro, os cegos usaurão um visor como o utilizado no seriado Star Trek" (foto). A luz recebida pelo visor será transformada em imagem por um chip de computador e então será enviada ao cérebro.

A visão ocorre quando a luz chega aos fotorreceptores da retina. Esses sinais são convertidos em impulsos neurais e, então, são enviados ao cérebro. O cérebro decodifica esses impulsos e traduz isso em imagens. A cegueira é causada por doenças que "matam" os fotorreceptores e destroem os circuitos associados.

O segredo para o sucesso da nova prótese é justamente "entender" como a retina manda as imagens para o cérebro. Para isso, eles usaram equações matemáticas para transformar a recepção de luz em impulsos neurais compreensíveis ao cérebro. (vi na Science Daily)


Fonte: Site Yahoo





6 DIETAS PARA O CORPO E PARA A PELE


Sua dieta mantém seu corpo esbelto e saudável, mas o impacto dela não para por aí.

Os alimentos que você come podem afastar as rugas, já que alguns contêm antioxidantes e combatem a ação dos radicais livres. Mas cortar certos nutrientes do prato também pode prejudicar o andamento da sua cútis.

A Health Magazine listou os impactos ocasionados por seis dietas populares.

Dieta mediterrânea: baseada em peixes, verduras e azeite, essa dieta é pra lá de saudável e ajuda o bom funcionamento do coração. Os benefícios não param por aí. Um recente estudo italiano aponta que ao seguir esta dieta você estará protegido contra o melanona, a forma mais letal de câncer de pele. Ainda, os ácidos graxos, como o ômega 3, ajudam a manter a pele forte e elástica. Azeite, tomates e vinho tinto têm antioxidantes que bloqueiam as reações químicas que causam danos por conta da exposição ao sol.

Dieta vegetariana: cortar a carne e enriquecer sua alimentação com produtos frescos e integrais pode fazer muito bem para a sua pele. Os antioxidantes neutralizam os radicais livres que contribuem para o surgimento de rugas, manchas e outros sinais de envelhecimento. Só preste atenção nas fontes de gordura – elas são essenciais para que a pele mantenha sua elasticidade e retenha água. Por isso, enriqueça o prato com azeite de oliva e óleo de açafrão.

Dieta protéica: cortar todos os carboidratos das refeições pode diminuir o cortisol, o hormônio do stress. Se a dieta for repleta de grãos integrais, carnes magras e frescas, a dieta alcançará bons resultados na balança e ainda manterá a pele bonita. Já se a dieta for baseada somente em carnes pesadas e gordura animal, pode resultar em um aumento da produção de radicais livres. Beba muita água para manter a pele hidratada e escolha peixes e outras proteínas magras, ao invés da apenas carne vermelha. Além disso, não se esqueça das verduras.

Dieta com baixa gordura: reduzir a gordura saturada é ótimo para o coração e para a cintura. Mas, ainda assim, o seu corpo precisa de um pouco deste óleo para continuar a funcionar, especialmente do tipo vegetal, encontrado em nozes e azeites. A gordura ajuda o corpo a absorver os antioxidantes e vitaminas, além de fortalecer as membranas celulares e tornar a epiderme mais flexível.

Dieta crua: a comida que não passa pelo processo de cozimento preserva as enzimas naturais, auxiliando na digestão, energia e perda de peso. Embora esta afirmação não seja consenso médico, não há como negar que estes alimentos auxiliam na melhoria da aparência da pele. Lembre-se de enriquecer seu prato com azeites e óleos saudáveis. O único porém da dieta é a ausência de carne, essencial para produção de colágeno, que contribui para a elasticidade da pele.

Dieta dos carboidratos: basear sua alimentação em carboidratos complexos pode ser uma boa para emagrecer, já que demoram mais para serem digeridos e dão a sensação de saciedade por mais tempo. A dieta dos carboidratos complexos, presentes principalmente nos produtos integrais, pode ajudar a suavizar a pele. Mas lembre-se de consumir ácidos graxos saudáveis, que garantirão elasticidade à pele. E atmbém, não esqueça de beber muita água.

FONTE: http://saude.terra.com.br/nutricao/veja-6-dietas-que-mantem-o-corpo-em-forma-e-a-pele-em-dia,3f5e5138e2df8310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html


31 SEGREDOS PARA VIVER MAIS


Feijões: um estudo realizado com idosos na Austrália, Japão, Suécia e Grécia, os pesquisadores descobriram que as pessoas que comiam 20 gramas de feijão diariamente tinham as chances de morte diminuídas em 8%. Uma dieta rica em ácidos graxos evita o desenvolvimento do câncer, defende uma pesquisa da Michigan State University

Vez ou outra surgem pesquisas científicas que defendem que alguns alimentos e hábitos são verdadeiras armas a favor da saúde. Alguns deles são capazes de melhorar o funcionamento de alguns órgãos, blindar o corpo contra certas doenças e favorecer a harmonia emocional do corpo. As informações são da Health Magazine.

1. Brócolis, uva e salada: uma dieta rica em frutas e legumes e pobre em calorias é uma boa aposta para uma vida longa. Coma brócolis, uvas e saladas. Pesquisas científicas provaram que esses alimentos prolongam a vida.

2. Frutas vermelhas: essas frutinhas são cheias de antioxidante e aumentam a imunidade do corpo. Um estudo da Universidade de Havrd descobriu que pelo menos uma porção de blueberry ou duas porções de morango por semana podem reduzir o risco de declínio cognitivo em idosos.

3. Alho: estudos descobriram que os fitoquímicos presentes no alho podem interromper a formação de substâncias cancerígenas no corpo. Ainda, as mulheres que consomem mais alho têm menores chances de desenvolver câncer de colo do útero.

4. Azeite: a gordura do azeite, conhecida como monoinsaturada, é bastante conhecida por proteger a saúde cardíaca. Outros estudos também apontam que duas colheres de azeite por dia também pode proteger o cérebro e prevenir o câncer.

5. Acelga: um estudo da Universidade Vanderbilt descobriu que as mulheres que incluíam em sua alimentação nabo, couve e acelga tinham menos riscos de morrer em decorrência de um câncer de mama.

6. Abacate: a fruta pode reduzir o LDL, conhecido também como colesterol "ruim", enquanto eleva os níveis do colesterol “bom”, o HDL.

7. Tomates: o licopeno, presente nos tomates, é um importante aliado na luta contra o câncer. Comê-los cozidos podem ser mais eficiente para afastar os casos de câncer, como o de próstata.

8. Feijões: um estudo realizado com idosos na Austrália, Japão, Suécia e Grécia, os pesquisadores descobriram que as pessoas que comiam 20 gramas de feijão diariamente tinham as chances de morte diminuídas em 8%. Uma dieta rica em ácidos graxos evitam o desenvolvimento do câncer, defende uma pesquisa da Michigan State University.

9. Grãos e sementes: comer fibras pode reduzir os riscos de morte em 22%, defende um estudo publicado no Archives of Internal Medicine. Especialistas dizem que a fibra pode proteger contra diabete, doenças cardíacas, alguns tipos de câncer e obesidade, e pode reduzir o colesterol e controlar a pressão arterial.

10. Álcool com moderação: diversos estudos sugerem que pequenas quantidades de álcool podem beneficiar a saúde cardíaca. Um estudo feito pela Harvard Medical School descobriu que o consumo moderado de bebida por homens que tiveram um ataque cardíaco pode ajduar a diminuir o risco de morte.

11. Não beba: Tomoji Tanave, um dos homens mais velhos do mundo, que morreu em 2009 aos 113 anos, dizia que nunca havia tomado bebida alcoólica. Leite era sua bebida obrigatória.

12. Uísque: essa não é comprovada pela ciência, mas Raymonde e Lucienne Wattelade, as gêmeas mais velhas do mundo, disseram que o segredo da longevidade era tomar uma dose de uísque, além dos exercícios físicos regulares.

13. Chá verde: esta bebida cheia de antioxidantes, que livram o corpo dos radicais livres e ajudam o organismo a funcionar melhor.

14. Café: em 2008, um estudo da Universidade de Harvard apontou que as mulheres que bebiam de café por duas a três xícaras tinham 18% menos chance de morrer do que as que não consumiam a bebida. Se consumissem de quatro a cinco xícaras, os índices passavam para 26%.

15. Chocolate: homens que comem pequenas quantidades de chocolates até três vezes por mês vivem quase um ano a mais que aqueles que não o fazem. Isso é o que defende um estudo de Harvard, publicado em 1999. Outro estudo feito pelo Instituto Karolinska, em Estolcomo, provou que os pacientes que sobreviveram a um ataque do coração tinham 44% menos chances de morrer durante os próximos oito anos, se eles comessem chocolate pelo menos uma vez por semana. Tudo isso se deve aos flavonoides encontrados no cacau.

16. Menos carne vermelha: pessoas que comem carne vermelha todos os dias têm um risco maior de morrer durante um período de 10 anos do que aqueles que comem menos, de acordo com um estudo de 2009 da Universidade da Carolina do Norte.

17. Mais carne branca: no mesmo estudo, as pessoas que comiam mais carne branca como frango, peru e peixe pareciam ter menores riscos de morte por ataque cardíaco.

18. Mais nozes: substituir a carne vermelha por carne branca, nozes e leguminosas pode reduzir em 19% as chances de morte nas pessoas com idade média.

19. Milho, feijão e carne de porco: comer como um costarriquenho pode aumentar suas chances de ter uma vida longa e saudável. Um homem de 60 anos na Costa Rica tem cerca de duas vezes mais chances de chegar aos 90 anos do que homens nos Estados Unidos, França, ou mesmo do Japão. Costarriquenhos têm uma vida muito ativa e uma forte ética de trabalho, bem como uma dieta que consiste basicamente de milho, feijão, carne de porco, hortaliças, frutas.

20. Frutas e verduras vermelhas: comer frutas e verduras com essa cor pode ser uma boa maneira de se manter jovem. Aposte no repolho vermelho para se proteger contra o câncer e melhorar a saúde do cérebro, no suco de beterraba para baixar a pressão arterial e os tomates para baixar o colesterol.

21. Bananas: triatleta mais antigo do mundo ainda está forte aos 91 anos. Arthur Gilbert, de Somerset, na Inglaterra, diz que segue uma dieta equilibrada rica em frutas e vegetais e de bananas que ele ama especialmente.

22. Peixe: salmão, atum e outros peixes oleosos podem ajudar os pacientes com doença cardíaca a viver mais, porque os ácidos graxos, como o ômega-3, ajudam a combater a inflamação perigosa que pode prejudicar o funcionamento do corpo. Para manter a saúde, aposte nas versões cozidas ou assadas e evite os peixes fritos.

23. Alimentos orgânicos: alguns estudos defendem que os produtos orgânicos possuem mais vitaminas e minerais que os alimentos convencionais. Um estudo da Universidade de New Castle sugere que os alimentos orgânicos podem estender a vida em 25 dias para os homens e 17 dias para as mulheres.

24. Deixe no prato: “se você quiser viver mais, deixe um pouco de refeição em seu prato”, defende Dan Buetter que estuda as áreas ao redor do mundo onde as pessoas vivem mais. Na cultura japonesa, ele diz, as pessoas param de comer quando sentem-se 80% satisfeitas uma prática que ajudou o país ganhar um lugar no topo da lista de locais com as pessoas mais velhas.

25. Duas refeições diárias: Walter Breuning de Great Falls era o homem mais velho do mundo quando ele morreu em 2011, aos 114 anos. Ele atribuiu sua longevidade ao fato de fazer apenas duas refeições por dia, informou o Daily Mail. Breuning disse que comeu um grande café da manhã e almoço todos os dias, saltou do jantar, bebeu muita água, e comia muitas frutas.

26. Comer menos: alguns estudos têm demonstrado que os animais vivem mais se comerem apenas uma vez a cada dois dias. Pesquisa da Universidade de Washington também descobriu que pessoas que restrinjam a sua ingestão de calorias têm menores temperaturas do núcleo-uma indicação de que seus corpos podem operar de forma tão eficiente quanto possível.

27. Dieta japonesa: acredita-se que peixes, tofu e vegetais façam com que a expectativa de vida cresça. Muitos especialistas defendem que o estilo de vida japonês controla o peso, e traz benefícios como a longevidade.

28. Dieta mediterrânea: As gorduras saudáveis ​​do peixe, azeite de oliva, nozes, frutas e legumes, e quantidades moderadas de vinho presentes na dieta mediterrânea são os responsáveis por corações mais saudáveis, menores taxas de câncer, obesidade e mal de Alzheimer.

29. Dieta nórdica: também conhecida como dieta escandinava, as refeições são compostas de repolho, pão, centeio, raízes, farinha de aveia e peixe.

30. Caseira: se tudo isso falhar, a comida caseira pode ser o segredo para uma vida mais longa. Um estudo da Universidade de Cambridge descobriu que as pessoas que cozinham até cinco vezes por semana tiveram uma chance 47% maior de permanecer vivo durante um período de 10 anos.

31. Pizza de peperoni: só porque sua comida favorita é não está nesta lista não significa que você está condenado a uma vida mais curta. Tome Irmã Cecília Adorni de Hamden, Connecticut, que faleceu em 2011 com 103 anos: Na sua festa de aniversário daquele ano, colegas de trabalho contaram à CBS que Adorni gostava de comer bife às vezes, mas que sua comida preferida ainda era pizza de peperoni.

FONTE: http://www.onortao.com.br/ler3.asp?id=59187

terça-feira, 14 de agosto de 2012

DECISÃO JUDICIAL



De acordo com a Justiça Federal do DF, se o profissional das técnicas radiológicas lida diretamente com fontes de radiação ionizante, independente do vínculo empregatício, o trabalhador tem direito a 20 dias de férias por semestre

O Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (CONTER) tomou nota de uma decisão judicial em Brasília que socializa o benefício das férias especiais. D

e acordo com a Justiça Federal do DF, nos casos em que o profissional das técnicas radiológicas lida diretamente com fontes de radiação ionizante, independente do vínculo empregatício, o trabalhador passa a ter direito a 20 dias de férias por semestre.
Veja a sentença da decisão, Acesse o link abaixo:

http://www.conter.gov.br/pdf/Jurisprudencia.pdf

Teoricamente, existe uma distinção entre os profissionais da Radiologia empregados com base na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e aqueles que são contratados sob o regime estatutário do órgão contratante. Os primeiros teriam direito a apenas 30 dias de férias anuais, como todos os trabalhadores celetistas, enquanto os demais poderiam gozar de até 20 dias de férias por semestre, por força da Lei n.º 1.234/50.

Contudo, para efeito, o que vale é se o trabalhador lida diretamente, ou não, com fontes de raios X. Se sim, independente do vínculo, o poder judiciário tem entendido que o funcionário tem direito a 40 dias de férias anuais. Os empregadores são obrigados a reconhecer essa garantia, que é fundamental para preservar a saúde dos trabalhadores.

EXEMPLO

A presidenta do CONTER Valdelice Teodoro destaca a forma como tomou conhecimento da decisão e acredita que seja um episódio inspirador, para promover a união dos profissionais da Radiologia em torno de interesses comuns.

“Recebemos o e-mail sobre essa decisão de uma médica radiologista, que nos pediu para difundir a informação com o objetivo de ajudar outras pessoas pelo país afora, independente de serem auxiliares, técnicos, tecnólogos ou médicos. Foi um gesto nobre, que mostra poder haver integração entre todos nós, profissionais da Radiologia, em torno de interesses comuns”, finaliza Teodoro.

Fonte: CONTER
07/08/2012

segunda-feira, 6 de agosto de 2012


Óleos de coco e de Cártamo pro seu metabolismo


Enquanto o de coco é um excelente antioxidante, o de cártamo promove a saciedade

No mundo das dietas, dois produtos estão se tornando os queridinhos por aficcionados em dietas de emagrecimento. Você, provavelmente, já deve ter ouvido falar no óleo de coco e no óleo de cártamo. Muitas pessoas me procuram para saber qual a diferença entre os dois, já que ambos são prescritos para perda de gordura. Conhecendo o benefício de cada um, você saberá usá-los com mais propriedade a seu favor.

Os dois produtos contêm ômega-9, que é o ácido graxo oleico - o mesmo encontrado no azeite de oliva e no abacate - e que possui propriedade de metabolização da gordura corporal e também do colesterol. Ou seja, eles realmente fazem o metabolismo de gordura acelerar e, consequentemente, ajudam na queima de gordura corporal.

O fato de fazer efeito, principalmente na área da cintura, se deve também ao ômega-9, pois estudos mostram que esse ácido graxo diminui a produção de cortisol, uns dos hormônios responsáveis pela armazenagem de gordura nessa região. Para queima de gordura, sempre indico tomar o óleo 30 minutos antes e 30 minutos depois do exercício, pois a gordura será melhor metabolizada. Deixando um pouco de lado essa questão de emagrecimento, vamos a outros benefícios:

Óleo de Cártamo

Rico em ácidos graxos poli-insaturados e monoinsaturados, o óleo de cártamo tem a propriedade de promover estímulos de saciedade por aumentar a leptina, hormônio resistente em obesos. Ele contém ômega-6, o ácido linoleico, que protege contra o câncer, formação de placas de colesterol nas artérias e diabetes tipo 2. Além disso, acredita-se que este ácido graxo esteja relacionado às alterações corporais promovendo redução de gordura e aumento de massa muscular, podendo estar ligado à redução do tecido adiposo e aumento da lipólise.

No entanto, o ômega-6 está em excesso na nossa dieta, já que grande parte da população consome fontes alimentares desse nutriente. Ingerimos ômega-6 quando comemos carne vermelha, óleo de soja, peixes e sementes oleaginosas. Para o ômega-6 ter esse efeito maravilhoso sobre o nosso organismo, ele precisa estar em equilíbrio com o ômega-3, do contrário, pode favorecer a inflamação subclínica no organismo, podendo desencadear sérios prejuízos à saúde como resistência insulínica, diabetes, doenças cardiovasculares, câncer e, inclusive, a obesidade, pois todas são consideradas doenças inflamatórias.

Portanto, que fique bem claro! Para o óleo de cártamo funcionar de maneira adequada, o organismo precisa estar equilibrado em relação ao ômega-3 e, para isso, é preciso de ajuda de um profissional qualificado.

Óleo de Coco

Além do ômega-9, encontramos também o Triglicerídeo de Cadeia Média (TCM), que não é armazenado como forma de gordura por ser facilmente absorvido pelo intestino e, com isso, ?obriga? o organismo a utilizar a gordura acumulada como fonte de energia. Estudos apontam que o TCM ainda tem a capacidade de reduzir os níveis de LDL, balancear os níveis do bom colesterol no sangue (HDL) por apresentar fácil metabolização e baixa capacidade de oxidação.

É indicado para atletas, pessoas que queiram diminuir a quantidade de gordura corporal e tratar dislipidemias. Por ser rico em vitamina E, mantém as características de óleo sem sofrer oxidação, se tornando um potente antioxidante para o organismo, exercendo fator protetor.

O óleo de coco contém também ácido láurico, ácido graxo de cadeia média que, no corpo humano, se transforma em monolaurina. Encontrado também no leite materno, ele tem a função de exercer forte ação antibacteriana, antiviral e antiprotozoária, combatendo vários micro-organismos maléficos ao ser humando, como Cândida albicans, Citomegalovirus, Clamídia, Estreptococos, Giárdia, Helicobacter pylori, Herpes.

O ácido láurico também possui efeito termogênico, pois acelera o metabolismo, e aumenta a sensação de saciedade, contribuindo para o menor ganho de peso.

Além disso, o coco contém ácido cáprico, que se transforma no organismo em monocaprina, um composto com propriedades antimicrobianas e antivirais. Resumindo, se você quer perder gordura corporal, diminuir seu colesterol e apresenta várias recorrências de candidíase, infecção urinária e micose na pele, está na hora de usar o óleo de coco. 


FONTE: http://www.minhavida.com.br/alimentacao/materias/12983-oleos-de-coco-e-de-cartamo-aceleram-o-seu-metabolismo

Dieta para quem parou de fumar


Se livrar de um vício não é tarefa fácil. Quem parou de fumar sofre com a ansiedade gerada pela falta da substância.

Saiba que entre a enorme variedade de alimentos disponíveis no nosso país muitos deles podem te ajudar nessa missão tão difícil.

Quem está deixando de fumar costuma buscar refúgio na comida e nem sempre faz boas escolhas. Como se não bastasse, uma pesquisa realizada na França descobriu que o ganho de peso, doze meses após o abandono do cigarro, é de 5kg em média. Destes, a maior parte do peso é acumulado nos primeiros três meses (a falta de nicotina seria responsável por um acúmulo de cerca de 3kg).

"O ganho de peso está associado ao aumento da ingestão de alimentos, a remoção dos efeitos metabólicos (inibição do apetite e maior gasto energético) e a falta de compensação nas atividades físicas praticadas pelo indivíduo", explica Dra. Carolina Mantelli Borges, endocrinologista da Clínica de Especialidades Integrada. Atenção! Isso não é regra, há pessoas que perdem peso após se livrar dos cigarros.

Veja alguns alimentos, citados pela endocrinologista, que te ajudam a conter a ansiedade e, consequentemente, controlar o peso. Inclua-os nas principais refeições!

Alface: ameniza a irritação, pois seu talo contém lactucina, substância que funciona como calmante. Também é rica em fosfato, cuja falta no organismo causa depressão, confusão mental e cansaço.

Frutos do mar: possuem zinco e selênio que agem no cérebro, diminuindo o cansaço e a ansiedade.

Espinafre: rico em potássio e ácido fólico, que previnem a depressão.

Banana: diminui a ansiedade e ajuda a garantir um sono tranquilo, por ser rica em carboidratos, potássio, magnésio e biotina.

Frutas cítricas: laranja, limão, abacaxi, caju, lima e acerola são grandes fontes de vitamina C. Pesquisas têm associado o consumo da vitamina C à diminuição da secreção de cortisol (que é o hormônio presente na resposta ao estresse).

Maçã: rica em fibras (principalmente na casca), carboidratos, vitaminas A, B1, B2, B6, C, minerais, zinco, magnésio e selênio. Ajuda a combater a ansiedade e relaxa.

Mel: auxilia numa maior produção de serotonina, que está intimamente ligada às mudanças de humor.

Tomate: rico em vitamina B6 e C, que ajudam a combater a irritação.

Uva: contém vitaminas do complexo B, que ajudam no funcionamento do sistema nervoso. A vitamina C e os flavonóides da uva são antioxidantes que retardam o envelhecimento da pele e ajudam a combater o colesterol.

Leite e derivados magros: contém vitaminas do Complexo B que, se não forem ingeridas, podem acabar com seu bom-humor. O leite também é rico em cálcio (que ajuda a relaxar os músculos) e proteínas (que estimulam o sistema nervoso).

Ovos: os nutrientes que garantem o bom-humor são a tiamina e a niacina (vitaminas do complexo B), ácido fólico e acetilcolina. A carência dessas substâncias pode causar apatia, ansiedade e até perda de memória. Dois ovos por semana são suficientes.

Alguns alimentos devem ser evitados. Passe longe de carne vermelha, café e bebidas alcoólicas.

Alimentos para limpar o organismo Sabemos dos males que o cigarro causa no nosso organismo. Para ajudá-lo a se regenerar mais rapidamente, abandone o vício e abuse dos alimentos listados abaixo.

Leite, queijos e iogurte: pioram o sabor do fumo graças à vitamina B e auxiliam na eliminação da nicotina no organismo.

Cenoura: rica em vitamina A, ajuda a neutralizar os radicais livres produzidos pelo cigarro.

Espinafre: fornece quantidades importantes de betacaroteno, que desempenham grande ação antioxidante e estimulam o sistema imunológico.

Aveia e arroz integral: o alto teor de selênio gera um potente antioxidante que elimina os radicais livres e ajudam a prevenir doenças cardíacas (muito frequentes em fumantes).

Laranja, acerola, caju, limão, goiaba: ricos em um antioxidante natural que é a vitamina C, previnem o aparecimento de substancias cancerígenas. Quanto mais vitamina C, mais intragável será o suco para o fumante.

Feijão e legumes: contribuem para que o fumo tenha um sabor pior e estimulam o peristaltismo intestinal (movimento que o intestino faz para empurrar o bolo alimentar).

Figo e batata: ricos em zinco, que faz parte do crescimento celular em dezenas de reações enzimáticas, ajudam no processo de expulsão do dióxido de carbono.

Água: beba muitos e muitos copos de água. Ela contribui para o aumento da micção (produção de urina) que, por sua vez, auxilia a eliminação de toxinas. 


FONTE: http://vilamulher.terra.com.br/dieta-para-quem-parou-de-fumar-11-1-70-644.html

O esporte pede desculpa!

DESCULPE EU AMAR O MEU BRASIL E NÃO AOS GOVERNANTES QUE NADA FAZEM PARA VALORIZAR O POVO BRASILEIRO. DESCULPE EU SER OBRIGADO A VOTAR E MANTER O SALÁRIO DOS POLÍTICOS QUE NADA FAZEM OU MUDAM O TOM DE SUAS DESCULPAS. ACORDA BRASIL, ACORDA POVO HEROICO BRASILEIRO.

domingo, 5 de agosto de 2012

Hepatite

Hepatite designa qualquer degeneração do fígado por causas diversas, sendo as mais frequentes as infecções pelos vírus tipo A, B e C e o abuso do consumo de álcool ou outras substâncias tóxicas (como alguns remédios). Enquanto os vírus atacam o fígado quando parasitam suas células para a sua reprodução, a cirrose dos alcoólatras é causada pela ingestão frequente de bebidas alcoólicas - u

ma vez no organismo, o álcool é transformado em ácidos nocivos às células hepáticas.

Hepatite A: A transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus, principalmente mariscos ou legumes mal lavados;
Ato sexual sem preservativos;
Tomar banho em águas contaminadas. A urina e as fezes transmitem o vírus;
Compartilhar pratos, talheres ou copos com uma pessoa contaminada;
Pela saliva e o beijo

Prevenção: Melhorias nas condições de higiene e saneamento básico;
Vacinação contra a hepatite A

Hepatite B e C: está presente no sangue, no esperma e no leite materno, a hepatite B é considerada uma doença sexualmente transmissível.
Sua transmissão ocorre:
Relações sexuais sem camisinha com uma pessoa infectada;
A transfusão de sangue;
Mãe infectada para o filho durante a gestação, o parto ou a amamentação;
Compartilhar material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos), de higiene pessoal (lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou de confecção de tatuagem e colocação de piercings, por transfusão de sangue contaminado.

Vacinação contra a hepatite B

Hepatite C: Assim como o vírus causador da hepatite B, está presente no sangue. Entre as causas de transmissão são semelhantes a da hepatite B.

Os sintomas das hepatites são muito raros. Entretanto, quando aparecem são cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Por se tratar de uma doença silenciosa, é importante consultar um médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam todas as formas de hepatite. O diagnóstico precoce da hepatite amplia a eficácia do tratamento.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Portal de Acessibilidade - Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PPDs e PPAHs no RS (FADERS)Governo do Estado do Rio Grande do Sul - Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social


Portadores de deficiência poderão ter reserva de 20% das vagas em concursos públicos

01/08/2012
Simone Franco

Portadores de deficiência poderão contar com reserva legal de, no mínimo, 20% das vagas oferecidas em concursos públicos. É o que prevê projeto de lei do senador Gim Argello (PTB-DF).

A proposta já chegou à Comissão de Assuntos Sociais (CAS), onde aguarda a indicação de relator. Depois de passar pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), seguirá para a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), que irá votá-la em decisão terminativa.

Segundo explicou Gim Argello, o PLS 258/2012 resgata projeto do ex-senador Rodolfo Tourinho, que chegou a ter substitutivo aprovado por essas comissões e pelo Plenário do Senado. A matéria, no entanto, foi arquivada em janeiro de 2011, porque o substitutivo não foi votado em turno suplementar antes do término da legislatura.

Inovação

Na comparação com o texto votado pelo Senado em 2010, o projeto de Gim Argello inova ao elevar de 5% para 20% o percentual mínimo de cargos e empregos públicos a ser reservado para portadores de deficiência nos concursos. A regra vai valer para seleção em órgãos da administração direta e indireta da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.

– Trata-se da defesa do direito ao trabalho de uma população de mais de 20 milhões de brasileiros, tradicionalmente alijada do setor produtivo e assim impedida de garantir o próprio sustento – comentou Gim.

Além de outras garantias, o PLS 258/2012 assegura inscrição gratuita a candidatos com deficiência comprovadamente carentes, condições diferenciadas para realização das provas e adaptação do ambiente de trabalho às necessidades do novo servidor.

Ao mesmo tempo em que exige comprovação da deficiência do candidato já no ato da inscrição - mediante apresentação de laudo médico -, o projeto proíbe que o portador de deficiência seja impedido de exercer o cargo ou o emprego público para o qual foi nomeado sob o argumento de falta de aptidão específica em razão de limitações físicas, sensoriais, intelectuais ou psíquicas.


Fonte: Agência Senado






Feevale - Aluno com paralisia cerebral se forma nesta sexta-feira

01/08/2012
As últimas semanas têm sido de muita expectativa e ansiedade para o acadêmico Guilherme Finotti que, aos 20 anos de idade, está prestes a se formar em Sistemas para Internet na Universidade Feevale. À medida que se aproxima o dia 3 de agosto, data da sua formatura, o sorriso fácil vai dando lugar à inquietação. E não é para menos, afinal, esta não é só mais uma batalha que está chegando ao fim, mas o começo de uma longa trajetória profissional.

Guilherme, que possui paralisia cerebral, ingressou na Feevale em 2010, depois de ter se formado no curso técnico em Desenvolvimento de Software e Aplicação para Internet, na Escola de Aplicação da Feevale. Em 2009, foi preciso lutar muito para fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) por meio de um computador adaptado. Apesar da restrição motora e de fala, a sua capacidade cognitiva não foi afetada. Por causa da deficiência, ele não consegue abrir totalmente a mão e, para usar o computador, depende de teclado e mouse especiais.

E se, apesar de todos os problemas Guilherme é uma pessoa bem resolvida, isso se deve, em primeiro lugar, ao apoio e carinho da mãe Eunice e do pai Luis. Hoje, ele também é funcionário da Universidade Feevale, onde atua como auxiliar de Suporte a Sistemas no setor de Recursos Humanos. “Trabalhar aqui é muito bom, pois a Instituição incentiva o profissional; o clima é agradável, nossa equipe é ótima e há espaços para perguntas e sugestões”, afirma ele sobre sua primeira experiência profissional. Por e-mail, Guilherme respondeu as perguntas abaixo.

O que a formatura representa para você?
O fim de uma etapa muito importante na minha vida pessoal e profissional, estar me formando em um curso que eu adorei, em todos os sentidos, e os primeiros passos em minha profissão, que amo. Temos que lutar por nossos sonhos e o fato de você andar sobre uma cadeira de rodas ou não enxergar, por exemplo, apenas significa que você terá que adaptar suas ações diferentemente dos outros, mas nunca que você é “diferente” e terá que viver, pensar, desejar e ser tratado diferente só por isso.

O que você projeta daqui para frente?
Muitas coisas, como me especializar em minha área, ganhar experiência e crescer profissionalmente, além de descansar uns meses da vida acadêmica e cuidar mais de mim e de meu físico. Quero e serei um profissional muito respeitado e bem-sucedido e um grande homem, reconhecido não somente pelas minhas lutas para me incluir, mas sim, pelo meu trabalho.

O que falta, no Brasil, para as pessoas com deficiência?
Muito conhecimento por parte do povo sobre as diferentes deficiências e suas reais limitações, o que, acredito, seja a solução para acabar com grande parte do preconceito existente. Também é preciso maior respeito por parte da sociedade, do poder público e, ouso falar, de muitos PCD’s, que usam suas limitações só para ganhar vantagens, denegrindo nossa imagem.

Que conselho você daria para quem possui deficiência?
Precisamos de ajuda sim, mas não espere que outro lute por você, suas vitórias começam por você. Como uma grande amiga diz, somos (d)Eficientes.


Fonte: Planeta Universitário




Ômega3: a gordura do bem


Quando se fala em gordura a maioria das pessoas tem a tendência de associar o nome a uma substância nociva à saúde. Mas o que muitos não sabem é que alguns tipos de gorduras são necessários para o bom funcionamento do organismo. Essas gorduras “do bem” são chamadas de ácidos graxos essenciais e dentre elas podemos destacar o ômega 3. 

O ômega 3 é um conjunto de ácidos graxos poli-insaturados composto pelo ácido alfa-linolênico, ácido eicosapentaenóico e o ácido docosahexanóico. Os nomes podem até soar complicados, porém os benefícios dessa substância são inúmeros. Os ácidos graxos ômega 3 são conhecidos pela atividade cardioprotetora, pois colaboram com a manutenção da saúde cardiovascular e ajudam a manter saudáveis os níveis de colesterol e triglicerídeos. Mas as vantagens do ômega 3 não param por aí: estudos apontam que o consumo adequado dessa substância pode ajudar a diminuir a incidência de doenças degenarativas cerebrais, como Alzheimer e Parkinson. 

Mas afinal, onde podemos encontrar o ômega 3? Como esse tipo de gordura não é fabricada pelo nosso organismo, inevitavelmente precisamos obtê-la através da alimentação. Os campeões de ômega 3 são os peixes provenientes de águas salgadas e profundas, como salmão, sardinha e atum. O ideal é consumir pelo menos duas porções de peixe durante a semana para usufruir das vantagens desse nutriente. Existem também outras fontes de ômega 3, como a linhaça e a semente de chia, as nozes e alguns óleos vegetais, em especial o de canola. Outra alternativa é consumir o ômega 3 em cápsulas, porém antes é recomendado procurar orientação de um médico ou nutricionista para estabelecer as quantidades diárias que devem ser consumidas de acordo com as suas necessidades.

Procure desde já fazer pequenas mudanças na sua alimentação e tente manter hábitos de vida saudáveis que os resultados virão mais rápido do que se imagina!


Cálcio e Osteoporose


O cálcio é um mineral extremamente importante para a formação e manutenção dos ossos e dentes, além de participar de diversas reações intracelulares. Entretanto, o consumo de leite e derivados nem sempre consegue suprir a quantidade diária de cálcio que o organismo necessita. Quando há deficiência de cálcio o corpo tende a retirá-lo dos ossos, o que pode causar osteopenia e osteoporose.

Existem diversos fatores que prejudicam a absorção do mineral, como o cigarro, o álcool, o consumo excessivo de sal, carne vermelha e cafeína, a deficiência do hormônio feminino estrógeno e o uso de determinados medicamentos.

Por outro lado, há fatores que potencializam a absorção de cálcio, como a vitamina D, presente na pele e ativada pela exposição solar. Tomar sol pelo menos 15 minutos por dia é o ideal. Atividades físicas também são importantes para este processo, pois além de reterem o cálcio, ajudam a fortalecer os ossos. Procure incluir na sua dieta alimentos ricos em cálcio, como laticínios, feijões e vegetais verde escuros (brócolis, espinafre, couve). Pode-se optar também por suplementos de cálcio que forneçam a quantidade diária recomendada do mineral (1000mg). Adquira um produto de boa qualidade e procure sempre orientação de um médico ou nutricionista.

Como osteoporose é uma doença que não costuma apresentar sintomas, quando há uma fratura, geralmente já houve perda significativa de massa óssea. Pessoas que se enquadram no chamado grupo de risco (idosos, mulheres pós-menopausa, usuários de corticóides) devem realizar periodicamente o exame de densitometria óssea para verificar possíveis danos.

Segundo a IOF (International Osteoporosis Foundation), a doença afeta 33% das brasileiras após a menopausa e a maioria delas nem sequer sabem que sofrem de osteoporose.

Lembre-se que o melhor remédio sempre é a prevenção através de uma dieta rica em cálcio, atividades físicas regulares e suplementação alimentar.

PRIMEIRA VACINA

PRIMEIRA VACINA

FOTOS

FOTOS
NEUROMUSCULAR EM SÃO PAULO

Postagens populares

HIDROTERAPIA

HIDROTERAPIA