RELÓGIO

PARTICIPE SENDO UM SEGUIDOR DO BLOG

www.stepaway-polio.com

Google+

MAPA MUNDI

free counters

sábado, 25 de maio de 2013

LEITURA ANTIGA MAS COM INFORMAÇÃO ATUAL, VALE A PENA LER NOVAMENTE ESTE POST.

Melhor em Casa amplia atendimento domiciliar


Presidenta e ministros entregam jaleco símbolo do Melhor em Casa à Maria Leopoldina Villas Boas, gerente de Atenção Domiciliar no DF Foto: Luís Oliveira/Ascom-MS
A presidenta da República, Dilma Rousseff, e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, lançaram, nesta terça-feira (8), o Melhor em Casa, programa que ampliará o atendimento domiciliar no Sistema Único de Saúde (SUS).  Pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica, por exemplo, terão assistência multiprofissional gratuita em seus lares, com cuidados mais próximos da família. A ação integra a Rede Saúde Toda Hora, que está reorganizando os serviços de urgência e emergência do país.
“Queremos criar um novo padrão de qualidade no atendimento dentro do SUS. O Melhor em Casa vai ser implantado gradativamente no país. É o atendimento feito por equipes de qualidade, oferecendo atendimento qualificado e, o melhor, perto do carinho dos seus familiares, com a sensação de segurança que está em casa, sem as pressões psicológicas que sabemos que sentimos dentro de um hospital”, afirmou a Presidenta Dilma Rousseff durante lançamento do Melhor em Casa.
O programa também ajudará a reduzir as filas nos hospitais de emergência, já que a assistência, quando houver a indicação médica, passará a ser feita na própria residência do paciente, desde que haja o consentimento da família. O atendimento será feito por equipes multidisciplinares, formadas prioritariamente por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeuta. Outros profissionais (fonoaudiólogo, nutricionista, odontólogo, psicólogo e farmacêutico) poderão compor as equipes de apoio. Cada equipe poderá atender, em média, 60 pacientes, simultaneamente.
“Começaremos com o cadastramento de 110 equipes de atenção domiciliar em todo país. Os pacientes receberão tratamento no melhor local que podem ser tratados, ou seja, em casa, junto com a família, envolvendo todos para a recuperação da saúde”, afirmou Padilha. “As pessoas devem ser atendidos de forma integral e é esse nosso objetivo com a construção de redes de atendimento.”
Até 2014, serão implantadas em todas as regiões do país 1.000 equipes de Atenção Domiciliar e outras 400 equipes de apoio. O Ministério da Saúde investirá R$ 1 bilhão para custear o atendimento dessas equipes. Os recursos também poderão ser utilizados para a manutenção dos serviços (compra de equipamentos, aquisição de medicamentos e insumos). O Ministério da Saúde vai repassar este ano a estados e municípios R$ 8,6 milhões para a atividade dessas equipes e manutenção dos serviços.

Atendimento – O Melhor em Casa será executado pelo Ministério da Saúde em parceria com estados e municípios, que devem fazer adesão. O programa está articulado com as Redes de Atenção à Saúde (Saúde Mais Perto de Você e Saúde Toda Hora), lançadas pelo governo federal para ampliar a assistência, respectivamente, na Atenção Básica e em casos de urgência e emergência no SUS.
As equipes de atenção domiciliar serão contratadas pelos gestores estaduais e municipais de saúde. Elas deverão estar integradas às centrais de regulação, facilitando a comunicação necessária entre os hospitais,UPAsUnidades Básicas de Saúde (UBS) e a equipe de atenção domiciliar da região onde mora o paciente. O atendimento à população será feito durante toda a semana (de segunda a sexta-feira), 12 horas por dia e, em regime de plantão, nos finais de semana e feriados.
Benefícios – Com o programa, o governo federal vaimelhorar e ampliar a assistência no SUS a pacientes com agravos de saúde, que possam receber atendimento em casa e perto da família.Estudos apontam que o bem estar, carinho e atenção familiar aliados à adequada assistência médica são elementos importantes para a recuperação de doenças. Além disso,pacientes submetidos a cirurgias e que necessitam de recuperação poderão ser atendidos em casa, e terão redução dos riscos de contaminação e infecção.
O Melhor em Casa também representará avanços para a gestão de todo o sistema público de saúde, já que ajudará a desocupar os leitos hospitalares, proporcionando um melhor atendimento e regulação dos serviços de urgência dos hospitais.

SOS Emergências qualifica gestão e atendimento de hospitais


Foto: Luís Oliveira/Ascom-MS
A presidenta da República, Dilma Rousseff, e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, lançaram, nesta terça-feira (8), o S.O.S Emergências, ação estratégica para a qualificação da gestão e do atendimento em grandes hospitais que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A iniciativa integra a Rede Saúde Toda Hora e vai alcançar, até 2014, os 40 maiores prontos-socorros brasileiros, abrangendo todos os 26 estados e o Distrito Federal. O governo federal – juntamente com estados, municípios e os gestores hospitalares – vai promover o enfrentamento das principais necessidades desses hospitais, qualificar a gestão, ampliar o acesso aos usuários em situações de urgência e garantir atendimento ágil, humanizado e com acolhimento.
A ação tem início em 11 hospitais de grande porte, localizados em nove capitais: Instituto Dr. José Frota (Fortaleza-CE), Hospital da Restauração (Recife-PE), Hospital Estadual Roberto Santos (Salvador- BA), Hospital de Urgências (Goiânia- GO), Hospital de Base (Distrito Federal-DF), Hospital João XXIII (Belo Horizonte -MG), Santa Casa e Hospital Santa Marcelina (São Paulo – SP), Hospital Miguel Couto e Hospital Albert Schweitzer (Rio de Janeiro – RJ) e Grupo Hospitalar Conceição (Porto Alegre – RS). Esses hospitais são referências regionais, possuem mais de 100 leitos, tem pronto-socorro e realizam grande número diário de internações e atendimentos ambulatoriais.
“Reconhecemos que a saúde pública deve, pode e precisa melhorar, e estamos atraindo, pra nós, a responsabilidade de liderar o processo em busca de uma saúde pública de qualidade”, afirmou a presidenta Dilma Rousseff, durante lançamento do Programa. “Estamos criando um novo padrão de qualidade no atendimento das pessoas que procuram nossas emergências, da recepção aos ambulatórios, dos centros cirúrgicos às emergências. Começarmos pelos hospitais que tem mais dificuldades”, disse.
Medidas -Para melhorar o atendimento nos serviços de urgência, serão adotadas medidas como o acolhimento e classificação de risco dos pacientes. Logo ao entrar no hospital, o paciente será acolhido por uma equipe que definirá o seu nível de gravidade e o encaminhará ao atendimento específico de que necessita. Também será organizada a gestão de leitos, fluxo de internação e a implantação de protocolos clínico-assistenciais e administrativos. Serão tomadas, ainda, medidas para proporcionar a adequação da estrutura e do ambiente hospitalar.
“Estamos preparados e prontos para entrar na arena e tomar o touro à unha, para dar melhor atendimento à população que depende do SUS”, disse ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O S.O.S Emergências deverá funcionar articulado com os demais serviços de urgência e emergência que compõem a Rede Saúde Toda Hora, coordenada pelo Ministério da Saúde e executada pelos gestores estaduais e municipais em todo o país. Esses serviços englobam o SAMU 192UPAS 24 horas, Salas de Estabilização, serviços da Atenção Básica e Melhor em Casa.
“Sabemos que ofertar o alívio imediato ao sofrimento pode ser decisivo para a vida da pessoa e, por isso, essa é uma ação inovadora. Mapeamos as principais urgências do país, pela importância da rede, atendimento, cobertura da população e o fato de serem decisivos no momento mais crítico de salvar uma vida”, enfatizou o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha.
Investimentos – Cada um dos 11 hospitais receberá anualmente R$ 3,6 milhões do Ministério da Saúde para custear a ampliação e qualificação da assistência da emergência. O valor para as unidades somará R$ 39,6 milhões, por ano.Também poderão receber individualmente até R$ 3 milhões para aquisição de equipamentos e realização de obras e reformas na área física do pronto-socorro, conforme necessidade e aprovação de proposta encaminhada ao Ministério da Saúde.
A unidade poderá, ainda, apresentar projetos para a criação de novos leitos de retaguarda e a qualificação (aquisição de novos equipamentos, por exemplo) para os leitos já existentes. São considerados leitos de retaguardaas  enfermarias de leitos clínicos, enfermarias de leitos de longa permanência, Unidades de Terapia Intensiva (UTI), Unidades Coronarianas e Unidades de Atenção ao Acidente Vascular Cerebral.
Funcionamento – Cada um dos 11 hospitais terá um Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar instalado, que apoiará e orientará as medidas visando à melhoria da gestão e da qualidade assistencial. Os núcleos atuarão nesses hospitais permanentemente e serão formados pelos coordenadores dos serviços de urgência/emergência, das unidades e central de internação do hospital (incluindo as UTIs) e por um representante do gestor local.
O trabalho dos núcleos será acompanhado pelo Comitê Nacional de Acompanhamento do S.O.S Emergências, formado por representantes dos Hospitais de Excelência, Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (CONASS)Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS) e membros do Ministério da Saúde.
O comitê será coordenado pelo Ministério e tem a função de receber e encaminhar solução às questões apontadas pelos núcleos; monitorar, através de sala de situação, os produtos e resultados alcançados nas unidades; e manter os gestores locais informados do andamento das ações nos hospitais
Parceiros – Por meio da estratégia S.O.S Emergências,serão feitas parcerias com o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e com os seis Hospitais de Excelência no Brasil – Sírio Libanês, Albert Einstein, Hospital do Coração, Samaritano, Alemão Osvaldo Cruz e Moinhos de Vento – para ampliar a qualidade do atendimento realizado. A principal contribuição será por meio do Telessaúde, ferramenta de comunicação a distância que presta teleconsultoria e segunda opinião médica, além discussão de casos com equipe multiprofissional. Todos os 11 hospitais terão pontos do Telessaúde instalados.
Os Hospitais de Excelência também vão contribuir com a capacitação de profissionais e apoio à gestão hospitalar. As universidades e as sociedades de especialidades também serão convidadas para contribuir com o projeto dos hospitais.
Esse post faz parte de #agendams#destaques#programasecampanhas e possui as seguintes tags: Blog da SaúdeCONASEMSConassDilma RousseffGoverno FederalGrupo Hospitalar Conceição (Porto Alegre - RS),Hospital da Restauração (Recife-PE)Hospital de Base (Distrito Federal-DF)Hospital de Urgências (Goiânia- GO),Hospital Estadual Roberto Santos (Salvador- BA)Hospital João XXIII (Belo Horizonte -MG)Hospital Miguel Couto e Hospital Albert Schweitzer (Rio de Janeiro - RJ)Instituto Dr. José Frota (Fortaleza-CE)IntoMelhor em Casa,Ministério da SaúdeRede Saúde Toda HoraS.O.S EmergênciasSAMUSanta Casa e Hospital Santa Marcelina (São Paulo - SP)SUSTelessaúdeUnidades de Atenção ao Acidente Vascular CerebralUPA 24hUTI,vAlexandre Padilha.

Descrição: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/jpg/dengue_portal.jpg
Gabriella Vieira
Analista de Mídias Sociais
Ministério da Saúde
Gabinete do Ministro
Ascom/Redes Sociais
saude.gov.br/redessociais


Pernas robóticas podem andar 15 quilômetros por elas mesmas


Imagem das pernas robo posicionadas em uma esteira elétrica.09/11/2011
Sem controle ou baterias. Japoneses do Instituto de Tecnologia de Nagoya desenvolveram pernas robóticas capazes de andar por elas mesmas, a partir de sua própria inércia, sem precisar de nenhuma energia exterior. Tudo o que é necessário é uma ligeira descida e um empurrãzinho para elas começarem a caminhar.

As coxas, pernas e pés da máquina são proporcionais em peso e comprimento, permitindo uma marcha como a dos humanos, sem a necessidade de qualquer outra fonte de energia além da energia potencial de um declive. O design das pernas de vida própria é muito semelhante às próteses mecânicas que as pessoas usam para locomoção.

As pernas são tão eficientes que durante um teste no ano passado deram mais de 100 mil passos – o equivalente a 15 quilômetros – em 13 horas. Os pesquisadores esperam que em um ou dois anos essas pernas robóticas integrem projetos de equipamentos esportivos ou de dispositivos que ajudem pessoas com deficiência a caminhar.

Além de tudo, com pernas como essas, vai ficar mais fácil transportar as coisas de um lugar para outro quando você quiser ficar sentado no sofá. [Gizmodo]


Fonte: Hype Science



Atleta paraolímpico Clodoaldo Silva participa de seminário do Senac-RS sobre inclusão


Clodoaldo Silva. Foto: Divulgação.10/11/2011
Um exemplo de luta e superação. Clodoaldo Silva, recordista mundial em seis modalidades de natação paraolímpica, estará em Porto Alegre no dia 30 de novembro, para participar do II Encontro de Ações Inclusivas, promovido pelo Senac-RS. O evento tem como proposta promover a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. As palestras serão realizadas na OAB/RS (Rua Washington Luiz, 1110 – Centro – Porto Alegre), a partir das 9h.

O atleta contará a sua história de vida, ensinando como criar e aproveitar oportunidades de crescimento mesmo nos momentos mais difíceis. Ele também abordará a importância da inclusão dos deficientes no mercado de trabalho: “Para que as pessoas possam ver hoje o Clodoaldo campeão, alguém me deu uma oportunidade antes. Agora eu não sou só um atleta vencedor, mas também venci a batalha da vida. É na busca pela conquista pessoal que todos os portadores de deficiência devem acreditar.”

Criado em uma família humilde o atleta teve paralisia cerebral por falta de oxigênio durante o parto, o que afetou os movimentos das pernas e lhe trouxe uma pequena falta de coordenação motora. Entretanto, nenhum desses obstáculos foram empecilhos para ele conquistar todos os seus objetivos e construir uma carreira de sucesso.

O II Encontro de Ações Inclusivas é gratuito e aberto ao público. Para participar, basta se inscrever no site http://portal.senacrs.com.br/site/eventos_eai_inscricao.asp

Confira a programação completa:

9h – Abertura com Ana Costa (SRTE-RS)
10h às 11h – Palestra: Clodoaldo Silva - Campeão Paraolímpico.
11h às 12h – Talk show: Relato de experiências – dois funcionários do Senac-RS, Julio Pinheiro e Eduardo Curzio.

14h às 15h – Oficinas:
Recrutamento e Seleção de PCDs
Montando Projeto de Inclusão
Libras

15h às 16h – Apresentação do Case Zaffari
16h às 16h30 – Apresentação Teatral de encerramento

Atividade paralela: Laboratório dos Sentidos


Fonte: Portal Senac RS



Câmara Municipal de Porto Alegre homenageia Waldin de Lima


O homenageado Waldin de Lima declamando um de seus poemas no Palácio  Piratini. FOTO: PALÁCIO PIRATINI10/11/2011
Professor e funcionário da FADERS, Waldin de Lima, foi homenageado pela Câmara Municipal de Porto Alegre, na tarde desta terça-feira, no espaço destinado a Câmara Municipal dos Vereadores de Porto Alegre, na 57ª. edição da Feira do Livro.

Solenidade, que ocorreu por iniciativa do Vereador Engenheiro Comassetto, onde Waldin foi entrevistado e homenageado pelo seu serviço prestado a cena cultural porto-alegrense. Com o seu gosto disperto para a literatura, Waldin publicou seu primeiro livro de poemas, ainda no ano de 1989, Gota de Orvalho. Anos mais tarde, em 2001, publica seu segundo livro, Luzes do Arrebol (A Saga do Homem em Busca de Si Mesmo), romance que trata da problemática da cegueira na sociedade. Por ultimo, em 2009, a poesia retorna a obra de Waldin, com a obra Canção das Flores.

Além da homenagem a Waldin de Lima, a Câmara irá desenvolver diversas programações, em seu espaço na feira do livro, como debates, encontros, apresentação de trabalhos (exposição de fotos, declamação de poesias) e apresentará diversos projetos relacionados às ações desenvolvidas pela Casa, relacionados à cultura. Também haverá várias sessões de autógrafos com autores convidados pelos vereadores. É a primeira vez em sua historia, que a Câmara Municipal participa com um estande próprio na Feira do Livro.


Fonte: ACOM FADERS



paulo rogerio berrutti cadaval

Foto do perfil de paulo rogerio berrutti cadaval
Blogueiro,
Ouça o discurso da presidenta Dilma Rousseff e veja também, o recado do ministro sobre o lançamento dos programas SOS Emergências e Melhor em Casa:

Atenciosamente,


Gabriella Vieira
Analista de Mídias Sociais
Ministério da Saúde
Gabinete do Ministro
Ascom/Redes Sociais

Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Ministério no Twitter  Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Ministério no FaceBook  Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Ministério no YouTube  Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Ministério no Orkut  Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Ministério no Form Spring  Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: Web Rádio Saúde

Meus amigos, como oncologista digo que ninguém está desejando mal ao Lula ou aos pacientes sofredores de câncer, mas sabemos que quando um governante passa na pele o que um paciente passa para ter o direito a um tratamento digno e justo, ou mesmo morre na fila esperando um medicamento, uma cirurgia ou simplesmente pela ineficiência do sistema, temos que nos revoltar!!!
Porque todos não tem o... direito de ter um diagnóstico no sábado e iniciar o tratamento na segunda, me digam um paciente que conseguiu essa presteza, ou que tratou linfoma com a droga de ponta que a Dilma usou, ou vai fazer infusão contínua com cateter e bomba de infusão de uso domiciliar???
Por que não nos exasperarmos por nem todos terem os mesmos direitos???
Somos diferentes porque não temos convênios, ou mesmo cargos importantes???
E a Constituição Federal não diz que temos todos os direitos e somos iguais???
Temos sim que aproveitar essa situação e mostrar que há diferenças nos tratamentos e lutar pelos direitos dos mais fracos. Não é justo que um paciente espere 30-40 dias para ter um diagnóstico patológico, ou aguarde na fila de cirurgias, simplesmente porque não há mais médicos se submetendo aos salários de fome que o SUS paga!
Pagar de 10 - 17 reais de honorários de quimioterapia por paciente/mês é simplesmente um achaque!
Pagar 1.200 reais por Mês para médicos da rede pública por 20 horas de trabalho, e fazê-los atender 18 pacientes ou mais em 04 horas é um abuso!
Eu quero sim que ele se cure e tenha um excelente tratamento, que com certeza já está tendo, mas e o paciente que atendi hoje que não teve a mesma sorte
e está morrendo no hospital com menos de 30 anos...
E as mulheres com câncer de mama que não conseguem usar o tratamento mais moderno?
E a fila da reconstrução mamária das mulheres mastectomizadas?
E as filas imensas da radioterapia, que só não são maiores pela abnegação de radioterapeutas que tratam os pacientes SUS em suas clínicas privadas,
muitas vezes arcando com os custos do tratamento para verem seus pacientes melhor atendidos?

Temos sim que falar, temos que mostrar à população que não é assim que ocorre no dia a dia de pacientes oncológicos, que ficam sentados dentro de ambulâncias o dia todo aguardando para voltarem para suas casas após terem feito seus tratamentos ou seus exames cedo pela manhã, aguardando aqueles que fazem exames e tratamentos á tarde.

Se vocês não sabem o câncer é uma doença que mais mata somente vindo atrás das doenças coronarianas.
Quase um problema de saúde pública!
E seus custos são altos sim, mas não justificam que para custeá-los temos que sacrificar pacientes que teriam chances reais de cura, que hoje mesmo a deonça se encontrando em estágios avançados chegam aos índices de 50 %.

Sinto muito se o Lula está passando por isso, mas com certeza não está lutando para ter seu medicamento e passando por um grave estresse para ver quando vai começar ou quando vão lhe chamar para iniciar seu tratamento!

Queria que todos os pacientes oncológicos tivesem o direito ao tratamento de ponta oferecido no Sírio ou no Einstein!! 
Somente nós médicos sabemos o dilema ético ao dizer ao paciente que terá que fazer um tratamento, mas que talvez não tenha acesso no sistema, por exemplo a hormonioterapia extendida para câncer de mama após uso de Tamoxifeno, não é disponibilizada ao pacientes do SUS, porque não tem código para esse tratamento, haja visto que a tabela está desatualizada.

O SUS diz que paga tudo, as tabelas realmente não dizem qual tratamento o médico deve fazer, o médico pode prescreve o que quiser, entretanto,
o valor pago pelo código da doença é ínfimo e não cobre os novos tratamentos, quem paga a conta???
Os hospitais filantrópicos???  Os hospitais públicos já tão sucateados...
Ou deixamos assim, e não nos indignamos, afinal eu não tenho nada a ver com isso, na minha família niguém tem câncer, e eu tenho convênio de saúde, para que vou me preocupar????

Quando a água bater naquele lugar, quero ver....Sorry pelo desabafo!
Mas é irritante escutar tanta coisa de quem não tem a mínima noção do que seja a saúde nesse país,
e isso que em Blumenau e no Sul, vivemos num paraíso, comparado com o resto do país!

Dra. Liziane AnzaneloOncologista - Blumenau - SC

Clinica Oncologica Lisiane

Rua Marechal Floriano Peixoto, 350 - Salas 1201 1202
Centro - Blumenau (Santa Catarina)
CEP: 89010-500
Telefone(s): Ver telefone
Especialidades atendidas neste endereço:
  • Cancerologia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PRIMEIRA VACINA

PRIMEIRA VACINA

FOTOS

FOTOS
NEUROMUSCULAR EM SÃO PAULO

Postagens populares

HIDROTERAPIA

HIDROTERAPIA